Brasil não vai usar reservas para conter alta do dólar, diz fonte da Fazenda

Moeda americana atingiu maior patamar desde 2003 com piora no cenário político e chegou a ser negociada a R$ 3,27

REUTERS

13 de março de 2015 | 14h30

O governo brasileiro não considera usar suas reservas internacionais neste momento para conter a forte alta do dólar ante o real, disse à Reuters uma fonte da Fazenda nesta sexta-feira, 13.

Segundo a fonte, a intervenção no câmbio depende de como o governo vê o movimento da moeda, que não tem sido avaliado como resultado de uma fuga de capitais, descartando, portanto a necessidade de usar as reservas neste momento.

O governo avalia que as recentes altas do dólar ante o real representam a busca do mercado por um novo patamar de equilíbrio da moeda, um pouco acima de R$ 3, e que neste processo pode haver excessos, como o que está acontecendo na sessão desta sexta-feira.

O dólar abriu a sessão desta sexta-feira, 13, em forte alta com a piora no cenário político. Notícias sobre a Petrobrás e uma disputa entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a respeito de subsídios às elétricas azedaram o humor do mercado, já influenciado pelos protestos que ocorrem pelo País. 

Tudo o que sabemos sobre:
Câmbiodólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.