finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Brasil negociará com FMI de cabeça erguida, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o governo está "muito a vontade" para fazer ou não um novo acordo com o FMI. "Entraremos (nas negociações) de cabeça erguida e, de preferência, sem mau humor", disse em discurso na inauguração de uma fábrica em Feira de Santana, na Bahia. "Não estamos com a corda no pescoço e muito menos com uma espada na nossa cabeça".Lula disse estar tranquilo para tomar uma decisão em função dos interesses brasileiros. "Não queremos fazer disso nenhum embate ideológico. Queremos analisar no momento certo se compensa ou não. E se compensa, em que base vamos fazer esse acordo", disse.Lula enfatizou que o País vive um momento diferente e poderá negociar de uma outra forma com o FMI. "Se houve algum tempo em que o Brasil sentou para negociar porque estava pedindo pelo amor de Deus um financiamento, neste momento vai prevalecer os interesses do desenvolvimento nacional". Em Brasília, a assessoria do Ministério da Fazenda informou que o governo conversou sobre um possível acordo com a missão do Fundo que esteve no Brasil para a última revisão. "Houve diálogo sobre um possível acordo com a missão do FMI na última revisão. Entretanto, não há no momento negociação sobre um novo acordo", disse a assessoria em resposta às declarações do líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante. Mercadante havia dito que o governo estava negociando com o FMI, mas em seguida recuou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.