Brasil paga 71% a mais pelo gás da Bolívia no 1º trimestre

Os desembolsos do Brasil com a compra do gás boliviano cresceram 71% nos três primeiros meses deste ano em relação a igual período do ano passado, somando US$ 351 milhões, conforme dados consolidados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em relação a 2004, o aumento foi de quase 100% (99,3%) e de 265% em relação a 2002, último ano do governo anterior. Naquele ano, o Brasil pagava à Bolívia cerca de US$ 32 milhões mensais na compra do energético e essa conta subiu para US$ 125 milhões no mês passado. Mantido o ritmo atual de crescimento, o Brasil enviará mais de US$ 1,5 bilhão à Bolívia este ano, na compra do gás daquele país.Os dados da ANP mostram que o Brasil vai continuar dependendo do gás boliviano, já que a produção interna continua abaixo do ritmo de crescimento do consumo do combustível. Em março, a produção nacional atingiu o equivalente a 47,6 milhões de metros cúbicos ao dia, com aumento de apenas 0,33% em relação ao registrado em março de 2005.O gás disponibilizado para o consumo interno, porém, registrou queda de 2,83% no mesmo intervalo. Isso porque a Petrobras tem utilizado volumes crescentes para o consumo próprio. Ainda segundo a ANP, em março a estatal consumia diariamente cerca de 7,8 milhões de metros cúbicos diários, com acréscimo de 33,3% em relação ao registrado em março do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.