Brasil perde com fracasso da Rodada de Doha, diz jornal

O jornal britânico Financial Times traz reportagem sobre o fracasso da chamada Rodada de Doha, na Organização Mundial do Comércio (OMC). O diário defende que o insucesso das negociações para liberalização do comércio mundial fez vencedores e perdedores. Na segunda categoria, o jornal lista o Brasil. O diário destaca que entre os perdedores do insucesso da Rodada de Doha está o agronegócio do Brasil e da Austrália, "que não conseguirão obter os mercados exportadores que buscavam". Entre os vencedores, segundo o jornal, estão "os altamente subsidiados fazendeiros americanos, que não enfrentarão qualquer pressão internacional".Em editorial, o jornal afirma que Doha "fracassou porque seus defensores usaram argumentos inconsistentes". O editorial faz uma crítica velada à lideranças dos países em desenvolvimento, como Brasil e Índia, ao dizer que "os poucos que usufruem de proteção provaram que são politicamente mais eficientes do que a maioria que espera poder ganhar com a liberalização e ainda não o percebeu". ´Guerras comerciais´ Já o jornal britânico The Independent afirma que a suspensão da Rodada de Doha deixou o mundo "à beira de uma nova onda de guerras comerciais e protecionismo, após cinco anos de frágeis negociações sobre um novo acordo comercial terem fracassado".Segundo o jornal, além do possível aumento do protecionismo, o fracasso das negociações para liberalização do comércio mundial "deverá retardar o crescimento econômico e aumentar a pobreza mundial" e ainda "gerar acordos bilaterais que favorecerão os países ricos em detrimento às nações mais pobres".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.