Estadão
Estadão

Brasil perde dólares pelo 3º mês e vê saída de US$ 3,9 bi em julho

Saldo cambial tem ficado negativo, apesar dos aumentos sucessivos da taxa de juros; no ano, fluxo ainda está positivo em US$ 7,2 bi

Célia Froufe , O Estado de S. Paulo

05 de agosto de 2015 | 12h55

BRASÍLIA - Após ter registrado saldo negativo de US$ 4,694 bilhões em junho, o fluxo cambial de julho teve saída de US$ 3,935 bilhões, conforme informou nesta quarta-feira, 5, o Banco Central. Esse é o terceiro mês consecutivo em que o resultado está no vermelho. Em abril, o saldo não só foi positivo, como o volume de entradas líquidas foi recorde: um total de US$ 13,107 bilhões. Em julho de 2014, o saldo estava no vermelho em US$ 1,791 bilhão.

O fluxo cambial chama atenção porque o saldo segue negativo apesar de o Comitê de Política Monetária (Copom) continuar adotando um ciclo de alta de juros, o que, teoricamente, é um atrativo a mais para o especulador internacional que busca operações financeiras brasileiras com vistas a um ganho maior do que em outras partes do mundo. A Selic está atualmente em 14,25% ao ano. 

A saída de dólares por esse canal financeiro foi de US$ 8,376 bilhões em julho, resultado de ingressos no valor de US$ 36,258 bilhões e de envios no total de US$ 44,634 bilhões. Ao longo de todo o ano passado, a área financeira foi a principal porta de saída de recursos do País, somando US$ 13,4 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Já no comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 4,441 bilhões no mês passado, com importações de US$ 13,248 bilhões e exportações de US$ 17,689 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 3,134 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 4,481 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 10,074 bilhões em outras entradas.

Acumulado do ano. O fluxo cambial soma US$ 7,165 bilhões no acumulado do ano até o último dia de julho. O resultado revela uma diminuição em relação à soma acumulada até junho, de US$ 9,577 bilhões. O saldo atual do fluxo é, portanto, quase metade do que estava sendo observado até o quinto mês do ano, de US$ 15,794 bilhões. Nos mesmos sete meses de 2014, o fluxo cambial estava positivo em US$ 2,355 bilhões.

No acumulado de um pouco mais da metade de 2015, houve saídas líquidas de US$ 7,088 bilhões da área financeira, que reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações. Neste segmento foram registrados ingressos de US$ 319,322 bilhões e envios de US$ 326,410 bilhões no período.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 14,252 bilhões nos sete meses em questão, com importações de US$ 97,622 bilhões e exportações de US$ 111,875 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 22,504 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 26,888 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 62,482 bilhões em outras operações.

Tudo o que sabemos sobre:
economiafluxo cambialdólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.