Brasil perderá liderança em suco de laranja após 24 anos

Depois de 24 anos como o maior produtor mundial de suco de laranja, o Brasil perderá, na safra 2003/2004 o posto para os Estados Unidos, mais especificamente para a Flórida, centro produtor daquele país, prevê a Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (Abecitrus). Segundo o presidente da entidade, Ademerval Garcia, a indústria no parque citrícola comercial brasileiro - que reúne São Paulo e Minas Gerais - deve processar, até meados de 2004, no máximo 230 milhões de caixas de 40,8 kg e produzir 900 mil toneladas de suco, deixando assim o primeiro lugar no setor para os norte-americanos, o que não ocorre desde a safra 1979/80.Ao mesmo tempo em que a safra brasileira será pequena, principalmente em virtude da seca em dois anos seguidos, a Flórida terá uma supersafra de 252 milhões de caixas para o processamento e a produção no Estado norte-americano será de 1,1 milhão de toneladas. "(A perda da liderança), não é uma virada permanente nem irreversível, mas vai ser engraçado como eles vão agora lutar pela manutenção da tarifa que os protege, sendo os maiores produtores do mundo", explicou Garcia referindo-se às taxas impostas pelos EUA para importação do suco brasileiro. Ele participa na próxima semana da reunião da Juice Products Association, em Washington (EUA), e disse que lá pretende abordar, além da perda da liderança, fundamentos da produção brasileira que levaram a isso, como estimativas de produção atual e perspectivas, efeitos das doenças, entre outros assuntos. Garcia reúne-se, ainda, na próxima terça-feira, com o embaixador brasileiro Rubens Barbosa, que deixará o posto em março/04.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.