Brasil planeja levar debate sobre a guerra cambial à OMC

'Vinculação entre câmbio e comércio não tem sido explorada no G-20 e pode vir a ser', diz secretário

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2011 | 18h47

O Brasil pode levar a "guerra cambial" para discussão na Organização Mundial do Comércio (OMC) na próxima reunião do Comitê de Comércio e Finanças da entidade, provavelmente em março deste ano. Segundo o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Carlos Márcio Cozendey, o País está examinando o assunto, mas ainda não decidiu a forma que utilizará para abordar a questão no organismo internacional.

"É importante ter em mente que levar a questão cambial à OMC não quer dizer dar início a um processo de solução de controvérsias ou a um questionamento formal. Na verdade, o que se examina é abrir uma discussão sobre o tema", afirmou Cozendey.

Segundo ele, apesar do G-20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do planeta) manter discussões sobre a questão cambial, o tema pode conseguir espaço na agenda da OMC. "A vinculação entre o câmbio e o comércio não tem sido explorada no G-20 e pode vir a ser", acrescentou.

O secretário não quis comentar as declarações de diplomatas norte-americanos que são contra abordar a questão no organismo internacional. Segundo Cozendey, porém, dependendo da forma como o assunto for tratado na OMC, os Estados Unidos podem não ter o poder de barrar o debate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.