Brasil pode assumir liderança no uso de gás combustível

Em curto espaço de tempo, o Brasil poderá superar a Argentina em número de veículos movidos a gás natural, passando a ocupar a liderança no setor. A avaliação foi feita hoje pelo presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotivos (Anfavea), Henry Joseph Júnior. Segundo ele, o gás natural chega a custar menos da metade do preço dos combustíveis convencionais, o que faz com que o produto seja uma alternativa atrativa para os consumidores. "As pessoas que usam seu veículo com maior intensidade, aqueles que rodam mais de cem duzentos quilômetros por dia, acabam se sentindo bastante inclinadas a utilizar esse combustível", afirmou o presidente, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional AM. Henry Joseph Júnior estima que existam em torno de 800 mil veículos movidos a gás natural nas ruas brasileiras. Mas ele alertou que a conversão de carros à gasolina pode aumentar os níveis de poluição do meio ambiente, se a mudança for feita sem a observância dos critérios adequados. "Normalmente, quando as conversões não são bem-feitas, os veículos acabam sendo bastante poluidores, mais até que os que usam combustível convencional", observou Joseph Júnior, ao defender uma maior fiscalização no mercado. "O próprio Conselho Nacional do Meio Ambiente tem tentado agir no sentido de que essas conversões sejam feitas somente com kits homologados pelos órgãos ambientais, de tal modo que passe a dar garantias de que o veículo vá ser menos poluidor", disse. De acordo com ele, dos cerca de 20 mil postos de combustíveis espalhados pelos país, aproximadamente 500 estabelecimentos oferecem o gás natural aos consumidores. "Somente os postos próximos às redes de distribuição das cidades é que estão habilitados a ter esse gás para oferecer ao público", explicou o presidente, ao destacar que, mesmo com a quantidade reduzida de pontos de venda, o número de motoristas que optam pelo gás natural continua crescendo. Ressaltou, ainda, que não há motivos para temer a falta de gás natural, uma vez que o Brasil possui várias reservas desse combustível. As informações são da Agência Brasil.

Agencia Estado,

06 Março 2004 | 22h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.