Brasil pode crescer 5% nos próximos 3 anos, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,insistiu nesta segunda-feira que o Brasil está pronta paracrescer 5 por cento durante os próximos três anos, apesar dacrise financeira global e do aumento dos preços dos alimentos.Dois dias antes de uma reunião do Comitê de Política Monetáriado Banco Central, Guido Mantega disse que "excluindo os preçosdos alimentos, a inflação no Brasil está muito bem comportada",e que o governo tem que "combater os desequilíbrios certos". "Existe uma razão muito clara para o aumento da inflação noBrasil. Estes não são problemas estruturais, isto se deve emfunção à elevação dos preços das commodities, principalmentedos alimentos. Existe uma questão mundial com alimentos nestemomento", afirmou o ministro a repórteres durante um seminárioorganizado pela Câmara de Comércio Americana Brasileira. "Então nós temos condições de crescer 5 por cento ao ano deforma sustentável. Ninguém quer desequilíbrios na economia, masnós temos que combater os desequilíbrios certos", acrescentouele. O mercado prevê inflação pelo Índice Nacional de Preços aoConsumidor Amplo (IPCA) de 4,66 por cento neste ano, acima docentro da meta de 4,5 por cento, e acredita que o Banco Centralirá elevar a taxa básica de juros já neste mês em ao menos 0,25ponto percentual. A taxa Selic está atualmente em seu menornível histórico a 11,25 por cento.A visão de crescimento de Mantega para o Brasil contrastafortemente com a estimativa de analistas. Discursando no mesmo seminário, o economista sênior doGoldman Sachs Paulo Leme prevê que economia brasileira irácrescer menos de 4 por cento em 2009 devido à desaceleraçãoeconômica global e à campanha de aperto monetário temporário doBanco Central."Eu acredito que o Brasil precisa controlar sua demandadoméstica para combater a inflação", disse Leme, que lidera odepartamento de pesquisa econômica de mercados emergentes noGoldman. "Esta é a palavra chave: 'controlar', não 'cortar'." O POTENCIAL DE CRESCIMENTO É TOLO Mantega disse que o Brasil deve aumentar seu suprimento dealimentos, ao invés de cortar a demanda por este, para combatera inflação. Ele também criticou analistas que disseram que opaís está crescendo atualmente acima de seu potencial. "Eu recomendaria que as pessoas parem de falar sobre o tolopotencial do PIB pois isso não ajuda. Aquelas estimativas parao potencial do PIB normalmente olham para trás", disse ele. Segundo Mantega, o Brasil está passando por "uma verdadeirarevolução na produção", com investimentos robustos naindústria. Isto possibilita o país a superar gargalos e amanter o crescimento sem inflação, disse ele. Voltando da reunião semestral do Fundo MonetárioInternacional em Washington, Mantega disse que retomou o seucostumeiro bom humor. "Em Washington, todo mundo está rebaixando as estimativasde crescimento. Esta não é a situação do Brasil e de certospaíses emergentes", disse ele. "Agora eu recuperei meu bomhumor brasileiro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.