Brasil pode facilitar comércio com Argentina

O ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, disse que o governo estuda elevar o valor e alongar o prazo das operações de comércio exterior brasileiras cobertas pelo Convênio de Crédito Recíproco (CCR). Dessa forma, segundo explicou Lafer, ficará amenizado o mais agudo problema de curto prazo enfrentado pela Argentina, que é a obtenção de créditos comerciais de curto prazo. Assim, ficará ampliada a gama de produtos brasileiros exportados para a Argentina com a cobertura do CCR.Segundo o ministro, há espaço para esta medida porque a Argentina mantém superávit em suas transações comerciais com o Brasil. Lafer antecipou, ainda, que a reunião de chanceleres do Mercosul, marcada para amanhã, em Buenos Aires, "será essencialmente política". Ele acredita que, no encontro, será realçada a importância do Mercosul como projeto estratégico e reafirmada a solidariedade à Argentina pelos demais membros do bloco. Segundo o ministro, a adoção do câmbio flutuante pelo país vizinho elimina parte importante dos contenciosos econômicos e dos conflitos de concepção de política econômica dentro do bloco. Agora, acredita ele, virá uma fase de "limpar a mesa". Lafer observou, no entanto, que a eliminação de questões bilaterais levará algum tempo, pois a economia argentina está frabilizada e não pode atender a todas as demandas que possam surgir.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.