Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Brasil pode se descolar da crise internacional, diz Coutinho

Segundo o presidente do BNDES, economia do País vai crescer pelo 'ciclo que já está em curso'

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

07 de fevereiro de 2008 | 15h20

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Nacional (BNDES) avalia que o Brasil pode se descolar da crise internacional. "A economia brasileira tem condições efetivas de se desacoplar do ciclo internacional pelo lado real", afirmou. "A economia vai crescer pelo ciclo que já está em curso", afirmou ao divulgar o desempenho recorde do BNDES no ano passado, quando os desembolsos chegaram a R$ 64,9 bilhões. Ainda sem os números de janeiro, Coutinho adiantou que as turbulências do mercado financeiro neste início de ano não diminuíram o ritmo de procura por recursos do banco para investimento.  "Nos sensores do BNDES, não bateu nada no ciclo de investimento", afirmou, após afirmar que no mês passado houve previsões de que o investimento diminuiria. "Não houve arrefecimento (do interesse em investir no Brasil)", disse. O presidente do banco afirmou que "olhando para trás, 2007 foi excelente; olhando para frente, a formação bruta de capital fixo vai crescer". Coutinho disse que não haverá falta de energia no Brasil e que o banco está trabalhando para afastar gargalos de oferta. Segundo o economista, "há um ciclo de investimento em capital fixo na indústria, o que é fundamental para garantir a estabilidade de preço a longo prazo", e enfatizou que isso está ocorrendo também na área de insumos básicos - como mineração, siderurgia, química, petroquímica, papel e celulose. De acordo com Coutinho, o banco "olha com carinho" esses setores de insumos por eles exercerem influência grande sobre a formação de preços dos demais setores.

Tudo o que sabemos sobre:
BNDESCrise nos mercados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.