Brasil pode superar México e Venezuela em produção de petróleo

As tendências atuais indicam que o Brasil poderá subir para o topo da lista até 2011

Danielle Chaves,

18 de dezembro de 2009 | 19h20

Uma mudança na hierarquia do setor de petróleo da América Latina está em andamento, à medida que a produção do Brasil deixa o País perto de ultrapassar as potências energéticas México e Venezuela. Enquanto esses dois países têm visto sua produção cair drasticamente nos últimos anos, o Brasil vem dando sequência a um firme aumento, que vai se acelerar conforme os campos de petróleo em grande profundidade em alto mar começarem a produzir, nos próximos meses. As tendências atuais indicam que o Brasil poderá subir para o topo da lista até 2011.

 

Tradicionalmente, a alta produção de petróleo tornou as companhias estatais do México e da Venezuela complacentes na busca por novas fontes de energia, segundo David Shields, um analista independente de energia da Cidade do México. "Basicamente, a razão é que o Brasil teve de lidar com uma crise e a Venezuela e o México nunca tiveram", afirmou.

 

Petrobras

 

A estatal brasileira Petrobras também recebeu uma dura lição da economia de livre mercado, que forçou a empresa a melhorar sua eficiência. A Petrobras teve de se adaptar quando o ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso abriu o setor de petróleo brasileiro, tradicionalmente um monopólio da Petrobras, à concorrência de companhias privadas, em meados dos anos 1990.

 

O resultado foi uma onda de exploração, que fez a produção crescer em cerca de 50% desde 2000. A Petrobras, responsável por mais de 95% da produção do País, extraiu pouco mais de 2 milhões de barris de petróleo por dia em outubro deste ano. Se somados o gás natural e as operações da companhia fora do Brasil, a produção diária da Petrobras foi de cerca de 2,6 milhões de barris de óleo equivalente por dia, uma alta de 5,5% em relação a outubro de 2008.

 

A tendência é de que a produção de petróleo bruto do Brasil continue aumentando, conforme os campos na região do pré-sal começarem a produzir. A Petrobras tem como meta uma produção doméstica de 2,25 milhões de barris de petróleo por dia em 2010, que deverá crescer para 2,43 milhões em 2011 e 2,58 milhões em 2012.

 

Ontem, as norte-americanas Anadarko Petroleum e Devon Energy afirmaram que seus projetos conjuntos no Brasil encontraram petróleo pela segunda vez na região do pré-sal, na Bacia de Campos.

 

O Brasil também tem como destaque o campo Tupi,

que é a maior descoberta de petróleo do Hemisfério Ocidental desde o campo Cantarell, no México, em 1976. Estima-se que Tupi tenha entre 5 bilhões e 8 bilhões de óleo equivalente. A produção piloto deverá render cerca de 120 mil barris diários em pouco mais de um ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoBrasilMéxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.