Brasil pode ter fábrica de cosmésticos da coreana LG

Se o mercado brasileiro reagir bem a uma investida inédita do grupo sul-coreano LG, dentro de quatro anos o País poderá receber investimentos de US$ 20 milhões ou mais em uma nova indústria de cosméticos. A LG, mais conhecida em eletrodomésticos e eletroeletrônicos, investe na produção de cosméticos desde 1947, mas não possui fábrica nas Américas. "O intuito da companhia é verificar estes mercados", afirma o diretor executivo da Mooi Trading e Serviços, Maiko Alexander da Costa, representante brasileiro da LG cosméticos.Os produtos da divisão de cosméticos da LG começarão a ser vendidos no Brasil em novembro por meio da Mooi, de São Paulo. Primeiro será vendida apenas a linha de maquiagem Lac Vert, com 22 itens da classe "prestígio" destinados ao público de alto poder aquisitivo. A Lac Vert vem sendo importada da unidade de Seul e sua estréia para os distribuidores e o varejo acontece durante a Cosmprof Cosmética, feira de cosméticos e produtos de higiene pessoal que acontece esta semana no Anhembi, na capital paulista. Costa estima que no 1º semestre de 2003 as vendas alcançarão 96 mil unidades. Em janeiro de 2003, ele iniciará a distribuição de produtos mais populares, com linhas de toalete (sabonetes e xampus e outros itens). Embora garanta que não há disputa entre os escritórios brasileiro, mexicano e norte-americano para ver quem levará o novo investimento, por iniciativa própria ele quer provar aos executivos da matriz que o Brasil tem bom mercado para receber uma filial. Leia mais sobre os setores de Comércio e Serviços e de Química e Petroquímica no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.