Brasil pode ter juro real de 2% até 2014, diz Barbosa

O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou hoje que o Brasil pode ter uma taxa real (descontada a inflação) de juros de 2% ao ano até 2014. Segundo ele, a tendência de queda na taxa de juros real, cuja previsão para 2010 é de 5,8% ao ano, deve continuar ao longo da década. "O mundo está trabalhando com taxas baixas para os próximos anos, o que permite ao Brasil convergir para um patamar menor. Além disso, o País tem tido ganho de produtividade interno, que permite o crescimento econômico sem aumento da inflação", disse.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

22 de setembro de 2010 | 13h38

Barbosa reafirmou ainda que o Banco Central (BC) é quem vai realizar as operações de compra de dólares a mando do Fundo Soberano do Brasil (FSB). A informação já havia sido dada mais cedo pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. De acordo com o secretário, assim como nos outros leilões realizados pelo BC, não haverá limites para essas operações.

Além disso, a forma e as taxas envolvidas nas operações serão definidas com o BC. Barbosa, no entanto, disse não ter informação sobre quando começam, de fato, os leilões. O secretário participa hoje do 10º Encontro Nacional de Estudos Estratégicos, promovido pela Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, em um centro de convenções, em Brasília.

Tudo o que sabemos sobre:
jurorealinflaçãoBrasilBarbosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.