Brasil postula direção da OMC junto a países sócios

O Ministério das Relações Exteriores informou que o governo brasileiro está consultando países sócios da Organização Mundial do Comércio (OMC) quanto ao lançamento da candidatura do embaixador Luiz Felipe Seixas Corrêa ao cargo de diretor-geral. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi consultado e concordou com a iniciativa.A candidatura oficial só será lançada em dezembro. O mandato do atual secretário-geral, Supachai Panitchpakdi, termina em setembro de 2005 e a escolha do ocupante desse cargo se dá por consenso. Com isso, o Brasil atropela o uruguaio Carlos Perez de Castilho, que ocupa o cargo de presidente do conselho-geral da OMC e pretende concorrer ao cargo. Segundo se informa no Itamaraty, isso foi feito porque o Uruguai não é membro do Grupo dos 20 (G-20), o conjunto de países produtores agrícolas que obteve, nas rodadas de negociações da OMC, o compromisso de eliminação dos subsídios agrícolas pagos pelos países ricos.O Itamaraty evita, porém, avançar e dizer que Seixas Corrêa seria um candidato do G-20. As consultas ainda estão sendo feitas e os resultados foram mantidos em sigilo. Seixas Corrêa ocupa atualmente o posto de embaixador do Brasil em Genebra e é representante permanente do País junto à OMC e às Nações Unidas. Ele já foi embaixador no México, na Espanha e na Argentina e ocupou por duas vezes o posto de secretário-geral, o número dois no Itamaraty.Segundo a nota divulgada ontem, Seixas Corrêa "vem exercendo papel relevante, por todos reconhecido, no contexto das negociações da rodada Doha, na coordenação do Grupo dos 20 em Genebra e em outras importantes negociações internacionais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.