Brasil precisa de empreendedores, diz Dilma

Presidente disse que desenvolvimento deve acontecer por meio da qualificação da mão-de-obra  

José Roberto Castro e Carla Araújo, da Agência Estado,

18 de julho de 2013 | 16h26

SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff ressaltou na tarde desta quinta-feira, 18, a importância de se qualificar a mão-de-obra de um país na busca pelo desenvolvimento. Segundo a presidente, o Brasil vai precisar cada vez mais de trabalhadores qualificados e empreendedores.

Dilma está em Fortaleza, onde participa da formatura de alunos do Pronatec.

"Esse Brasil é muito grande e vai precisar cada vez mais de trabalhadores e trabalhadoras, empreendedores e empreendedoras. Quem estudar e trabalhar vai ter sucesso", disse a presidente, garantindo que existem oportunidades para todo mundo. "Um pais só se desenvolve quando seus trabalhadores são capazes de um trabalho qualificado", ratificou.

A presidente apresentou um dado segundo o qual 34 mil pessoas de 61 cidades do Ceará cursam ensino técnico no Estado pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego(Pronatec). Para chegar a este número, a presidente disse que foi importante a parceria com Estados, municípios e com o sistema S, formado por Senai, Senat e Senac. Segundo a presidente, "todo mundo reconhece a qualidade do Sistema S", onde se formou, por exemplo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Sem miséria. Dilma disse que o governo federal trabalha desde 2011, quando lançou o programa Brasil Sem Miséria, para auxiliar na transferência de renda, na formação profissional para inclusão no mercado de trabalho e para garantir o Bolsa Família.

"Temos dados vários passos na questão do Bolsa Família, um deles na questão de renda", afirmou.

A presidente disse que o governo mantém o foco nos beneficiários do Bolsa Família, pois "esse é um compromisso". "O governo tem responsabilidade e prioridade com a população que durante muitos anos foi excluída", disse.

Dilma reforçou que o governo não pretende suspender o benefício. "O Bolsa Família continuará a ser pago enquanto houver um brasileiro que precise", afirmou. Segundo ela, sair da pobreza extrema é só o primeiro passo que o País está dando. Ela comentou ainda que nenhum país se transformou em uma nação desenvolvida sem ter escola em tempo integral. "Escola para crianças e jovens e emprego para adultos são caminhos para país desenvolvido."

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.