Brasil pressiona EUA para proposta melhor na OMC

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou hoje que o Brasil tem pressionado os Estados Unidos, em Hong Kong, para que os americanos melhorem a oferta de apoio doméstico. "Essa melhora vai representar, bem como o fim dos subsídios às exportações, acesso a mercados. Se você diminui apoio doméstico e o estímulo às exportações, a produção nos países desenvolvidos acaba diminuindo e isso permite mais mercados para nós", avaliou.Rodrigues está em Hong Kong e falou à imprensa brasileira pelo sistema viva voz. Ele contou que o clima na reunião não é dos mais otimistas. "O Brasil e praticamente todas as delegações vieram para cá com a sensação que as soluções não acontecerão em Hong Kong", afirmou. "A idéia é reduzir a ambição para o Hong Kong 2", completou. Para o ministro, a falta de um acordo não é negativa. "O não acordo não significa perda definitiva. A perda seria um acordo ruim", completou. O ministro considerou que os Estados Unidos fizeram uma oferta "ambiciosa" para esta rodada, mas com duas condições. A primeira é condicionar a oferta norte-americana a uma abertura, ou seja, acesso a mercados, principalmente da União Européia (UE).Em relação ao tema de apoio ao Brasil, o ministro classificou a proposta norte-americana como "insuficiente". "Eles estão cortando muita água, ou seja, propõem cortar subsídios que não estão sendo usados ainda", comentou. O ministro ressaltou que os norte-americanos têm dito que a oferta atual não é definitiva e que ela poderá ser melhorada. "Uma mudança dependerá de resposta para acesso a mercados, principalmente da União Européia", afirmou.No caso da União Européia, o ministro classificou a proposta para o pilar de acesso a mercados como "tímida". Para o tema de apoio doméstico, os representantes da União Européia disseram que trouxeram a proposta que era possível. Para ele, uma alternativa para destravar as negociações é discutir o acesso a mercados para produtos não-agrícolas, tais como industriais e serviços.Definição de datasOutra expectativa do ministro para a reunião de OMC é a definição da data para extinção completa dos mecanismos de apoio às exportações. Pelo menos dois grupos que reúnem países agrícolas, o G-20 e o Grupo de Cairns, defendem 2.010 com prazo final para a eliminação desse tipo de subsídio."No entanto, esse tema depende da definição, nesta semana, de uma agenda mínima com ambição claramente definida para a chamada Hong Kong 2", disse. Essa segunda etapa de negociação, que serviria para concluir as negociações atuais, pode acontecer em abril de 2006, disse Rodrigues.Missão brasileiraRodrigues contou que uma missão técnica do Brasil se reunirá com técnicos europeus no dia 19 em Bruxelas. Eles discutirão o embargo da União Européia à carne bovina oriunda do Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. A suspensão vale desde 12 de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.