Brasil quer "comer o prato principal" na reunião do G-8

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse neste domingo que o Brasil quer ?comer o prato principal? na reunião do G-8. O país foi convidado junto com outros países em desenvolvimento a participar da reunião do grupo em São Petersburgo, na Rússia, com reuniões preliminares em junho e de cúpula em julho. Mantega diz que Brasil, África do Sul, Índia e China já são convidados para as reuniões do grupo há alguns anos, mas gostariam de ter participação maior na definição da pauta e nas discussões principais. ?É como se você fosse convidado para um almoço e você come o aperitivo e na hora do almoço você sai. Nós queremos participar do almoço também?, afirmou o ministro. No momento, Mantega diz que esses quatro países são convidados para a reunião de abertura, mas depois têm que sair enquanto os membros do G-8 continuam as discussões e tomam as decisões. Agenda conjunta Mantega disse que o encontro com os ministros da Fazenda de África do Sul, Índia e China, no domingo de manhã, foi rápido, e eles não chegaram a definir uma pauta comum para apresentar na reunião. ?Só acertamos que vamos levar uma agenda conjunta?, disse, lembrando que esses países já trabalham de forma conjunta em outros grupos, como o G-20, criado durante as negociações da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC). Na reunião do Comitê de Desenvolvimento do Banco Mundial, foram discutidas novas fontes de energia renovável, entre elas o programa brasileiro de etanol. ?Houve uma grande curiosidade e receptividade em relação ao programa brasileiro e nós estamos dispostos a globalizar a produção de etanol, com transferência de tecnologia e eventualmente exportação do nosso carro bicombustível?, afirmou.

Agencia Estado,

24 Abril 2006 | 09h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.