Brasil quer ingressar na Opep, diz Lula a revista alemã

Presidente diz que País quer trabalhar para diminuir os preços da commodity e rejeita críticas a biocombustível

Agência Estado,

09 de maio de 2008 | 07h51

O Brasil quer ingressar na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e trabalhar em direção à queda dos preços, disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva à edição do próximo sábado da revista alemã Der Spiegel, com vistas à próxima cúpula UE-América Latina, que será realizada em Lima, e à viagem da chanceler alemã, Angela Merkel, ao Brasil.   Veja também:    País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo   Reservas colocam País entre 5 maiores produtores de petróleo  Preço do petróleo em alta    Na entrevista, o presidente disse ainda que a Europa deveria deixar a produção de biocombustíveis para outros países e rejeitou as críticas de que os cultivos de cana atrapalhariam os produtos destinados à alimentação, especialmente cereais. "Nós e os africanos podemos fazer isso muito melhor", afirmou o presidente.   Lula disse também que o primeiro mundo deveria parar de subsidiar sua agricultura e reduzir os elevados impostos de importação para outros países. Em vez de criticar, "o primeiro mundo deveria deixar de subvencionar seus agricultores e de estabelecer enormes tarifas às importações", sustentou o presidente.   Em 14 de abril, o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima, estimou que poderia haver até 33 bilhões de barris equivalentes de petróleo e gás natural no campo Carioca, também chamado de Pão de Açúcar. O campo está localizado a oeste do megacampo Tupi, na Bacia de Santos e, se confirmada a estimativa, será o terceiro maior do mundo em petróleo.   (Com Efe) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.