Brasil recebe presidentes da Coréia e Vietnã a partir de terça

Depois da passagem do presidente da China, Hu Jintao, o Brasil recebe a partir desta terça-feira a visita de mais dois presidentes asiáticos: o da Coréia, Roh Moo-Hyun e o do Vietnã, Tran Duc Luong. O coreano é quase um "companheiro": filho de camponeses, ex-operário, advogado autodidata, ativista de direitos humanos e um dos líderes do movimento contra a ditadura em seu país. Brasil e Coréia buscarão acordos nas áreas de tecnologia e siderurgia. Já com o Vietnã, um dos países com maior taxa de crescimento na Ásia, a visita marcará o relançamento das relações comerciais com o Brasil.Segundo o diretor do Departamento de Promoção Comercial do Itamaraty, embaixador Mario Vilalva, o comércio entre Brasil e Coréia está na casa de US$ 2,3 bilhões ao ano. No entanto, as exportações brasileiras de produtos como minério de ferro e semimanufaturados de ferro e aço são superadas pelas importações de produtos coreanos de alto valor agregado, como partes de aparelhos celulares, circuitos integrados, dispositivos de cristal líquido e partes e acessórios para máquinas automáticas e processamento de dados. De janeiro a setembro deste ano, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, o déficit foi de US$ 192 milhões. O comércio com o Vietnã é bem mais modesto: a corrente de comércio foi da ordem de US$ 47 milhões no ano passado e chegou a US$ 53 milhões de janeiro a setembro deste ano. É, porém, uma relação que pode ser mais bem explorada. A exportação de carnes para aquele país é uma "possibilidade concreta", de acordo com Vilalva. Outra possibilidade são os aviões da Embraer. O presidente Tran Duc Luong começará sua visita oficial por São Paulo e vai a São José dos Campos conhecer a fábrica da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.