Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Brasil receberá US$ 500 mi para comércio exterior

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Enrique Iglesias, informou há pouco que o Brasil deve receber US$ 500 milhões do total de US$ 1 bilhão em linhas de financiamento para o comércio exterior que o banco está oferecendo neste ano. Iglesias confirmou que o Bradesco receberá US$ 180 milhões e o BID negocia com dois outros bancos a divisão do restante. Iglesias não quis revelar as instituições com as quais está negociando, alegando que a discrição faz parte do jogo. O presidente do BID participou hoje da assinatura do contrato para esse empréstimo em cerimônia na sede da Febraban. Iglesias ainda visita hoje a sede do Bradesco, na Cidade de Deus, em Osasco. Máximo para setor privadoO ministro do Planejamento, Guido Mantega, afirmou que o Brasil vai tentar, por meio de projeto do setor privado, obter o máximo possível dos US$ 2,8 bilhões que o BID tem disponível para financiar projetos do setor privado na América Latina e Caribe. "Como o setor público já está no limite do seu endividamento com o BID, vamos tentar atrair esse capital para o setor privado. Afinal, somos grandes fregueses do banco", afirmou o ministro, que acompanhou o presidente do BID em suas atividades durante o dia de hoje em São Paulo. Mantega destacou que os projetos de infra-estrutura (estradas, portos, aeroportos, hidrovias e obras de saneamento) são as prioridades para reivindicar esses recursos. De acordo com o ministro, o Brasil precisa de US$ 20 bilhões ao ano para investir em infra-estrutura. Para isso, o setor privado deverá apresentar projetos que permitam as empresas se habilitarem para obtenção desses recursos. Mantega ressaltou que o plano plurianual de investimentos, anunciado na semana passada, poderá ser uma das motivações para que o setor privado busque os recursos do BID. Isso porque os recursos públicos são insuficientes para concretizar o plano. Mantega acredita que o PIB crescerá entre 3,5% e 4% no próximo ano, o que vai gerar uma sobra de arrecadação que irá diretamente para investimentos. Por isso mesmo, precisamos do BID e dos banqueiros brasileiros para termos mais crédito, afirmou. Mantega admitiu que em reunião realizada hoje pediu ao presidente da Febraban, Gabriel Jorge Ferreira, que aumente o crédito para o consumo. Agora à tarde, o ministro acompanha Iglesias em visita ao Bradesco.

Agencia Estado,

27 de maio de 2003 | 15h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.