Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Brasil registra déficit em conta corrente de US$ 6,9 bilhões em fevereiro

Déficit é menor que o visto em janeiro, de US$ 10,7 bilhões; saldo da balança comercial foi negativo em US$ 2,8 bilhões

Victor Martins e Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S. Paulo

24 de março de 2015 | 10h55

A conta de transações correntes seguiu negativa em fevereiro, ao registrar um déficit de US$ 6,9 bilhões. Em janeiro, houve um déficit mais acentuado, de US$ 10,7 bilhões.

O resultado do mês passado ficou perto do teto do intervalo das estimativas coletadas pela Agência Estado, que iam de US$ 6,5 bilhões a US$ 9,6 bilhões, e foi melhor que a mediana estimada, negativa em US$ 7,6 bilhões.

Nos dois primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 17,5 bilhões, o que representa 5,77% do Produto Interno Bruto (PIB). Já no acumulado dos últimos 12 meses até fevereiro de 2015, o saldo negativo está em US$ 89,9 bilhões, o equivalente a 4,22% do PIB.

No mês passado, o saldo da balança comercial foi negativo em US$ 2,8 bilhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,803 bilhões. A conta de renda também ficou deficitária no mês passado, em US$ 1,392 bilhão.

Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somaram US$ 2,8 bilhões em fevereiro, resultado que ficou abaixo dos US$ 4 bilhões registrados em igual período do ano passado.

O Banco Central informou que a estimativa para a dívida externa brasileira em fevereiro de 2015 é de US$ 348 bilhões. Em dezembro de 2014, último dado verificado, a dívida estava em US$ 348,5 bilhões. A dívida externa de longo prazo atingiu US$ 289 bilhões em fevereiro, enquanto o estoque de curto prazo estava em US$ 59 bilhões no fim do mês passado, segundo estimativas do BC.

Remessas. O saldo de remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 727 milhões em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, houve uma saída líquida de US$ 1,3 bilhão. No acumulado do primeiro bimestre , o saldo está negativo em US$ 2,41 bilhões, ante US$ 3,8 bilhões de déficit visto nos dois primeiros meses de 2014.

Previsões. O Banco Central reduziu a projeção de déficit nas transações correntes em 2015, de US$ 83,5 bilhões para US$ 80,5 bilhões. A nova estimativa equivale a 3,79% do PIB.

A expectativa de saldo positivo na balança comercial deste ano também foi reduzida - de US$ 6 bilhões para US$ 4 bilhões.

O BC revisou para baixo a projeção de gastos com viagens internacionais de US$ 18,5 bilhões para US$ 17,5 bilhões.

Já a previsão de despesas com juros aumentou de US$ 14,2 bilhões para US$ 15,3 bilhões, enquanto a estimativa de remessas de lucros e dividendos para o exterior caiu de US$ 26,5 bilhões para US$ 24,5 bilhões.

O Banco Central manteve em US$ 65 bilhões a projeção para os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) em 2015. O número é equivalente a 2,95% do PIB.



Tudo o que sabemos sobre:
banco centralsetor externo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.