Brasil retoma exportações de frango após greve e prevê recordes

Após o fim da greve dos fiscaisagropecuários em setembro, as exportações de carne de frango doBrasil já retomaram o ritmo normal, diante da maior demandaexterna, e devem bater recordes históricos em outubro e tambémno ano, disse o presidente executivo da Associação Brasileirados Produtores e Exportadores de Frangos (Abef). A Abef anunciou nesta terça-feira que os embarques de carnede frango para o exterior em setembro somaram 242 miltoneladas, subindo 15 por cento em relação ao mesmo mês de 2006(210 mil toneladas), mas caindo 20 por cento ante agosto desteano, justamente por problemas decorrentes da greve. Com a retomada dos trabalhos dos fiscais, que paralisaramparcialmente as atividades de 28 de agosto a 25 de setembro, oscarregamentos de carnes que deixaram de ser embarcadas emfunção da greve em setembro devem ajudar o setor a conquistaruma nova marca histórica neste mês. "Outubro deve dar um pico, devemos embarcar 310 mil, 315mil toneladas, vai ser um recorde histórico", afirmou opresidente executivo interino da Abef, Christian Lohbauer, ajornalistas. Em agosto deste ano a associação registrou recorde deembarques, exportando 304,7 mil toneladas. Em setembro, a receita somou 386 milhões de dólares, com umcrescimento de 52 por cento em relação ao mesmo mês do anopassado, não só pelo aumento de volume, mas também em função depreços melhores. O preço médio de exportação de cortes de frango do Brasilestá crescente neste ano e atingiu valor recorde em setembro,de 1,55 dólar por quilo, aumento de 22 por cento ante o preçoregistrado em janeiro deste ano. "A Europa está consumindo muito e puxa o preço da carnevendida para o Oriente Médio, nosso principal destino." ANO TAMBÉM TERÁ RECORDE Nos primeiros nove meses de 2007, os embarques somaram 2,4milhões de toneladas, alta de 22 por cento em relação ao mesmoperíodo de 2006, e a receita totalizou 3,4 bilhões de dólares,aumento de 52 por cento na mesma comparação. São vários os fatores citados pela Abef que explicam oaumento do consumo de carne de frango no mundo, que tem puxadoas exportações do Brasil, o maior exportador mundial. Segundo Lohbauer, além da retomada do consumo após o "fimdo pânico" relacionado ao frango, com a diminuição dos casos degripe aviária e um maior conhecimento sobre a doença, a Europaem especial está demandando mais o produto, devido ao elevadoabate de matrizes para combater a proliferação do vírus. "O aumento do preço de bovinos também facilitou o nossocrescimento", apontou o executivo, citando ainda que a doençada orelha azul em suínos na China elevou indiretamente asexportações do Brasil, com a preferência por frangos. A China compra grande parte da carne de frango do Brasilpor meio de importadores de Hong Kong. O volume exportado no acumulado do ano pelo Brasil e areceita já estão próximos dos recordes registrados em 2005, omelhor ano do setor, quando o Brasil exportou 2,8 milhões detoneladas, o equivalente a 3,5 bilhões de dólares. Diante disso, a Abef prevê novos recordes em 2007. "Devemosexportar mais de 3 milhões de toneladas e mais de 4 bilhões dedólares neste ano", afirmou Lohbauer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.