coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Brasil sai na frente no Festival de Publicidade de Cannes

O Brasil ontem ficou mais próximo do penta tanto no futebol como na publicidade. Divulgada a "short list" da categoria impressos, aqui chamada Press & Outdoor, o País liderou o número de peças participantes com 113 trabalhos, ficando à frente dos Estados Unidos, com 80 trabalhos, e do Reino Unido, com 87, os mais fortes competidores do 49.º Festival Internacional de Publicidade de Cannes. A previsão é de que o Brasil conquiste 15 leões, quatro dos quais de ouro, seis de prata e cinco de bronze. No ano passado, foram 16 leões. A divulgação dessa lista representa uma grande dose de adrenalina entre os publicitários, que só hoje conhecerão aqueles que serão contemplados na primeira cerimônia do festival. De qualquer forma, pelo novo critério de contar um ponto para cada peça da "short list" até o limite de dez, quatro agências brasileiras ganharam dez pontos: F/Nazca, Almap/BBDO, Giovanni FCB e DM9DDB. O País trouxe na bagagem 1.384 trabalhos e teve um desempenho considerado fantástico, dado o número de peças incluídas na "short list". Nos últimos quatro anos, o País saiu de Cannes com o leão de Agência do Ano: DM9DDB (1998 e 1999), Almap/BBDO (2000) e F/Nazca. Há, portanto, chances de um tricampeonato ou um bicampeonato para as principais competidoras. A F/Nazca sozinha conseguiu 19 indicações de peças impressas na "short list", entre as quais a da campanha para a Natan em que um gordo, diante de uma bela jóia, fica magro. Levou mais indicações que todas as agências da Argentina. A Almap/BBDO conseguiu 17 indicações. A Giovanni/FCB também conseguiu 17 indicações e a DM9DDB 13. A DPZ, do trio Roberto Duailibi, Francisco Petit e José Saragoza, emplacou sete peças na categoria Press & Outdoor. Já as novatas Age e Neogama conseguiram cinco indicações cada, enquanto a Leo Burnett emplacou oito trabalhos. Se valer o grito dos mais de 50 brasileiros que torceram para a seleção no saguão do Palais, o País poderá também ganhar o leão na categoria Young Creatives. O tema escolhido foi a importância da água para o planeta. No critério animação, o trio formado por Theo Rocha (NewcommBates), Vinicius Miike (LOWE) e Thiago Tripoli (Agência Click) deu de goleada no trio belga formado por Vincent Gregory (Grey), Thomas Dantine (Grey) e Adrien Noterdaem (ZBZZ), que com mais cinco ou seis belgas desafiaram bravamente a torcida brasileira durante o jogo mas cordialmente cumprimentaram os brasileiros pela vitória. No caso do festival, com o resultado do Young Creatives, o trio brasileiro espera também vencer os belgas e os representantes de outros 35 países. Na categoria "media lions", dos 47 trabalhos que trouxe, o Brasil teve sete incluídos na "short list".

Agencia Estado,

18 de junho de 2002 | 08h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.