Brasil se aproveita bem do cenário mundial, diz BankBoston

O superintendente do BankBoston, Júlio Ziegelmann, disse, no programa Conta Corrente, da GloboNews, que o Brasil tem se aproveitado bem do cenário de crescimento mundial, aumentando a produtividade e aumentando as próprias exportações. "Todo início de ciclo de crescimento que a gente vai entrando é devido fundamentalmente às exportações. Elas são o motor desse ciclo de crescimento", salientou o executivo. Para ele, o fato de estar havendo um crescimento das importações já era esperado, o que deverá trazer reflexos no superávit da balança comercial no próximo ano: "A balança comercial do ano que vem não deve repetir o número deste ano mas ainda será muito favorável. E não deve repetir simplesmente porque vamos estar com um crescimento um pouco mais forte."Investimentos diretosZiegelmann também falou sobre o crescimento dos investimentos estrangeiros diretos, que atingiu US$ 1,6 bilhão no mês de julho: "O número é positivo, mas sem dúvida ainda não é a tranqüilidade de que nós necessitamos. A gente necessita de investimento direto em empresas, de longo prazo", destacou o superintendente do banco americano. "Para isto são necessárias regras claras aqui no Brasil, o investidor tem que ter muita confiança nas regras vigentes no País. O Brasil vem trabalhando com isto, mas o ritmo de evolução não está tão forte como poderia. O crescimento sustentado, aquele que não se transforma em inflação, só é possível com esse tipo de investimento."Classificação de riscoNa avaliação do representante do banco americano o Brasil deve receber em breve uma melhor classificação de risco, o que poderá facilitar a volta dos investimentos vindos de fora. Essa reclassificação, porém, só viria em 2005: "A gente está no limiar de receber esse upgrade, essa melhor classificação das agências", sentenciou Ziegelmann. "Porém, eu diria que o esperado é que isso não aconteça ainda neste ano. Mas para o ano que vem, a gente pode esperar e a gente fez por merecer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.