Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Brasil será 6º destino de investimentos de múltis

Até 2013, País ainda vai ficar atrás de Rússia, Índia e China

Jamil Chade e Carolina Ruhman, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2008 | 00h00

O Brasil será o sexto destino preferido de investimentos das empresas multinacionais nos próximos cinco anos, superando tradicionais economias como Alemanha, Itália, Japão e França. A avaliação é da consultoria KPMG, que destaca que o cenário internacional vai viver um verdadeira revolução diante dos mercados emergentes. Segundo a empresa, entre os seis primeiros destinos de investimentos no mundo até 2013, quatro serão países emergentes. A China vai superar os Estados Unidos na liderança. O Brasil, mesmo em sexto lugar, será o lanterna entre os Brics - bloco formado por Brasil, Rússia, Índia e China. Entre as empresas multinacionais consultadas pela KPMG, 14% afirmaram que investiriam no Brasil até 2013, 13%, na Alemanha e 10%, na França. "Entre os Brics, o Brasil vem depois de China, Índia e Rússia em termos de investimentos nos próximos cinco anos. Mas, em comparação com todos os outros países pesquisados, ele se sai consideravelmente bem, ficando em sexto", diz a KPMG. A lista é liderada pela China, que foi citada como destino de investimentos por 24% das multinacionais consultadas. Em seguida, aparecem Estados Unidos (23%), Rússia (19%), Índia (18%) e Reino Unido (17%). O setor de mineração será um dos que mais receberão investimentos no Brasil nos próximos cinco anos. Mas um número cada vez maior de capital será colocado em setores como serviços financeiros, manufaturas e produtos industriais. "Esse é um reflexo da ampliação da base da economia brasileira", afirma a consultoria. O Brasil será o principal destino de investimentos de empresas espanholas e o terceiro dos chineses e dos canadenses. Em relação aos investimentos brasileiros no exterior, 35% das empresas nacionais terão o mercado americano como destino neste ano. A América do Sul vem em segundo lugar, com 25%, seguida pela Europa, com 20%. A China, apesar de ser a líder mundial em destinos de investimentos internacionais, vai atrair apenas 10% das empresas brasileiras consultadas. A KPMG afirma que o Brasil deve aumentar seus investimentos na América do Sul e confirmar seu papel de principal economia da região. Para os próximos cinco anos, 30% das empresas citaram os países da América do Sul como destino de investimentos, mesma fatia destinada para os Estados Unidos. Na seqüência foram citadas China e Europa, com 20% das intenções de investimentos cada, e México e Índia, com 15% cada um.NA FRENTE A consultoria ressalta que, pela primeira vez, a China se transformará no principal destino de investimentos no mundo, superando os americanos e atraindo a atenção de 24% das empresas multinacionais. A Índia deve receber investimentos de quase 25% das empresas manufatureiras entrevistadas em todo o mundo até 2013. Nos próximos 12 meses, o Brasil será o oitavo destino preferido das multinacionais para fazer investimentos, superando países como Itália, Espanha, Cingapura, Japão, Canadá e México. Entre as empresas entrevistadas, 10% indicaram que farão novos investimentos diretos no Brasil até meados de 2009. NÚMEROS14% das empresas entrevistadas disseram que farão investimento no Brasil até 201324% das multinacionais vão investir na China nos próximos cinco anos, colocando o país na liderança dos destinos de investimentos35% das empresas brasileiras devem investir nos Estados Unidos neste ano25% das companhias brasileiras ouvidas afirmaram que farão investimento em países da América do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.