Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Brasil suspende exportação de energia à Argentina

O Brasil suspenderá à meia-noite desta sexta-feira o fornecimento emergencial de energia para a Argentina e só retomará a exportação se os argentinos aceitarem comprar energia gerada por termelétricas. O suprimento foi iniciado na terça-feira, com previsão de continuar por dois dias, mas os argentinos solicitaram prorrogação. Segundo nota divulgada na noite desta quinta-feira pelo Ministério de Minas e Energia, o Brasil informará os preços e as quantidades da energia térmica disponível, e caso o governo argentino aceite as condições do fornecimento, ele será reiniciado assim que os termos comerciais e operacionais forem acertados.Em notícia divulgada hoje pelo jornal argentino La Nación, o secretário de Energia da Argentina, Daniel Cameron, informou que já estava acertada a continuação do fornecimento emergencial de 500 MW, e que faltava definir o preço da energia. Ele reuniu-se ontem com a ministra de minas e Energia, Dilma Rousseff, para discutir o assunto. A nota brasileira reafirma a posição da ministra, que na segunda-feira havia alertado que a seca na região Sul impedia a continuidade do fornecimento de energia hidrelétrica para o País vizinho.A eletricidade que foi transferida até agora deverá ser devolvida pela Argentina no prazo de 45 dias, e os custos de transmissão serão ressarcidos em dinheiro, segundo a nota. O Ministério não informou detalhes sobre as negociações da importação solicitada pela Argentina a partir de maio. De acordo com as declarações de Cameron à imprensa argentina, estão sendo feitos entendimentos para a escolha das geradoras brasileiras que exportariam a eletricidade por 90 dias, a partir de maio.

Agencia Estado,

01 de abril de 2004 | 20h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.