Brasil tem superávit nominal em setembro

O setor público brasileiro conseguiu fechar as contas de setembro com superávit nominal, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Banco Central. No mês passado, União, Estados, municípios e empresas estatais fizeram um superávit primário de 10,005 bilhões de reais, bem acima dos 3,554 bilhões de reais do mesmo período de 2007. O dinheiro economizado foi mais que suficiente para pagar os 6,142 bilhões de reais de juros da dívida no período, garantindo assim superávit nominal de 3,863 bilhões de reais.   Em 12 meses encerrados em setembro, o superávit primário foi equivalente a 4,60 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 4,41 por cento do PIB em 12 meses até agosto. Também em 12 meses, o déficit nominal foi equivalente a 1,32 por cento do PIB --o menor patamar desde o início da série histórica do BC, em 1991.   No mês passado, o governo central registrou superávit primário de 5,173 bilhões de reais, enquanto os governos regionais tiveram superávit de 1,590 bilhão de reais e as estatais, superávit primário de 3,242 bilhões de reais.   O BC informou ainda que a dívida líquida total do setor público caiu para valor equivalente a 38,3 por cento do PIB no mês passado, frente a 40,4 por cento em agosto. A retração na relação dívida/PIB refletiu principalmente a queda do real frente ao dólar, uma vez que o país é credor líquido na moeda estrangeira.   "A desvalorização cambial ocorrida no mês foi responsável pela redução de 1,6 ponto percentual na relação dívida/PIB", afirmou o BC em nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.