Brasil terá menor crescimento entre emergentes, diz revista

Um levantamento trimestral da revista Economist com previsões de bancos de investimentos e consultorias internacionais sobre 25 países emergentes mostra que a economia brasileira deverá ter o menor crescimento neste ano, 3% do PIB. Segundo as previsões das nove instituições consultadas, a China será o país emergente que registrará a maior expansão, 9%, seguida da Índia (6,8%) e Argentina (6,6%).Em 2006, segundo a pesquisa, a economia brasileira crescerá 3,6%, superando apenas a do México (3,3%) e da Colômbia (3,5%). A China também lidera o ranking de crescimento entre os emergentes no próximo ano, com uma previsão de 8,1%, seguida pela Índia (6,9%), Indonésia e Rússia (ambas, com 5,5% do PIB).Comparando-se com as projeções de maio passado, o levantamento mostra uma avaliação mais negativa para a perspectiva de crescimento dos emergentes neste ano. As previsões foram cortadas para 13 países e elevadas para 11.A previsão para o balanço em conta corrente do Brasil neste ano é de um superávit de 1,4% do PIB, que cairá para 0,6% em 2006.As instituições consultadas pela Economist foram as seguintes: ABN Amro, Deutsche Bank, Economist Intelligence Unit, Goldman Sachs, HSBC, ING, Morgan Chase, Merrill Lynch e UBS.

Agencia Estado,

24 de agosto de 2005 | 08h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.