Brasil terá missão de empresários em Cannes

Proposta da Abedesign e da Apex com missão é aproximar os empresários do uso do design[br]na comunicação

Marili Ribeiro,

29 de abril de 2011 | 01h37

A Associação Brasileira de Empresas de Design (Abedesign) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), com apoio do Grupo Estado - que é representante oficial do Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions no Brasil -, vão levar ao encontro na costa francesa, em junho, uma missão de empresários brasileiros. A ideia é aproximá-los das propostas de uso do design na comunicação, além de abrir canais para contatos de negócios.

O maior festival da propaganda mundial - que acontece há quase 60 anos e reúne a nata dos profissionais do segmento de comunicação e marketing - vem se transformando nos últimos tempos. De competição nascida para a escolha dos melhores comerciais criados pelas agências de publicidade para seus clientes, Cannes Lions virou plataforma de capacitação, com seminários e workshops sobre variados temas e plataforma de relacionamentos, graças ao crescente número de empresários e executivos presentes.

"Cannes pode ser também uma plataforma de lançamentos de produtos. Circulam por ali mais de oito mil delegados que são formadores de opinião em seus países de origem", diz Luciano Deos, presidente da GAD Design e da Abedesign. "Esse é o cenário ideal para divulgarmos a qualidade de nosso trabalho." O evento mobiliza mais de 10 mil participantes, julga cerca de 25 mil trabalhos e tem representantes de 90 países.

Deos será o único brasileiro a presidir um júri este ano, entre as 13 categorias em disputa no Festival de Cannes. Além de Deos, na categoria Design, o Brasil tem 12 profissionais nos diferentes júris. No caso específico da categoria design, criada há quatro anos, o País ganhou expressão pelo número de trabalhos inscritos. No ano passado, por exemplo, foram 213, de um total de 1.440 de todos os países presentes.

Promoção. O interesse dos profissionais da área no festival de publicidade tem encontrado respaldo na agência brasileira de promoção comercial, que subsidia a inscrição de peças e dos delegados. O custo por uma semana na cidade da costa francesa fica em torno de 3 mil. Este ano, a agência resolveu ir além e investir na organização de uma missão empresarial ampla, com o objetivo de levar ao evento representantes de outros setores, entre os 80 que apoia. "O nosso interesse é que mais empresas absorvam o design brasileiro para sermos mais competitivos", explica Maurício Borges, presidente da Apex - Brasil. "Temos, cada vez mais, de nos preocupar menos com a taxa de câmbio e mais com o potencial criativo de nosso País. Cannes é o lugar do culto à criatividade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.