Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Brasil vai integrar o Clube de Paris e atuar em renegociações de dívida de outros países

Ministério da Fazenda confirmou que País vai formalizar adesão ao grupo de grandes credores globais

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2016 | 20h33

BRASÍLIA - O Ministério da Fazenda confirmou nesta segunda-feira, 28, que o Brasil passará a integrar o Clube de Paris, um grupo originalmente formado por 21 países para ajudar financeiramente nações em crise econômica.

Recentemente, na última reunião de chefes de Estado do G20 em Hangzhou, na China, o grupo foi reconhecido como o principal fórum para a reestruturação de dívidas soberanas.

De acordo com o Ministério, a adesão será formalizada em breve em cerimônia com a participação do ministro Henrique Meirelles.

"Como membro pleno do Clube de Paris, o Brasil aumentará sua influência na agenda financeira internacional e nas futuras renegociações de dívidas soberanas. O Clube de Paris segue os princípios de solidariedade, consenso, troca de informações, condicionalidades, abordagem caso a caso e tratamento isonômico", disse a Fazenda em nota.

O Brasil realizou diversos acordos financeiros com o Clube de Paris em crises do passado. O último empréstimo - contraído em 1983 e renegociado em 1992 - foi quitado antecipadamente em janeiro de 2006, com o pagamento de parcelas que somavam US$ 2,6 bilhões e só venceriam na metade e no final daquele ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.