coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Brasil vira estrela do mercado de caminhões

A indústria brasileira de caminhões, que deve crescer 30% este ano em produção, atrai novos investimentos, a exemplo do que ocorre no setor de automóveis. Ambos os segmentos terão resultados recorde em 2007. Para as matrizes das companhias, o País voltou à lista de prioridades, ao lado da China. ?As duas principais diretrizes do grupo hoje para sua globalização fora da Europa são a América Latina, com o Brasil à frente, e a China?, diz o presidente mundial da Iveco, Paolo Monferino. Ele veio ao País ontem para visitar o Salão Internacional do Transporte (Fenatran), que vai até amanhã.Um dia antes, a Iveco, empresa do Grupo Fiat, anunciou investimentos de R$ 375 milhões na região nos próximos três anos, a maior fatia para a fábrica de Sete Lagoas (MG). O montante é 60% maior que o previsto anteriormente e será aplicado em novos produtos, aumento da capacidade de alguns setores e início da produção local de cabines para caminhões grandes, hoje feitas na Argentina.Outras montadorasNesta semana, a Ford também anunciou que vai aplicar R$ 300 milhões na unidade de caminhões em São Bernardo (SP) até 2011. A Agrale pretende investir R$ 25 milhões. Já a Mercedes-Benz, maior montadora do setor, deve anunciar em breve planos para ampliar a produção em 20% no ABC paulista, enquanto a Volkswagen, que concluirá em 2008 um aporte de R$ 100 milhões, deverá informar o programa futuro para a fábrica de Resende (RJ). Quase todas as marcas têm atualmente fila de espera de produtos de até seis meses.As oito fabricantes brasileiras devem produzir este ano mais de 130 mil caminhões, o que faz do País o sexto produtor mundial. O recorde anterior foi em 2005, com 118 mil unidades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.