Brasileira vai conduzir instituto de governança corporativa da AL

Heloisa Bedicks, atual superintendente de equivalente brasileiro do órgão, ocupará o cargo

Agência Estado,

28 de março de 2012 | 12h28

SÃO PAULO - Uma brasileira vai comandar o Instituto de Governança Corporativa da América Latina (IGCLA) até março de 2013. Heloisa Bedicks, superintendente geral do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), será a presidente e Adriane de Almeida, superintendente adjunta de conhecimento do IBGC, assumirá a secretaria.

"Entendemos esse momento como o reconhecimento de nosso trabalho no Brasil e no exterior, em especial na América Latina, de disseminação de boas práticas de governança. Assumir a presidência do IGCLA, para nós, reflete a confiança do GCGF (Global Corporate Governance Forum) em nossa atuação", afirma Heloisa Bedicks.

O IBGC será responsável por diversas atividades durante o período de um ano, auxiliando a consolidar os institutos que ainda estão em desenvolvimento (Argentina, Bolívia, Costa Rica, El Salvador e Equador), concluir a investigação sobre juntas diretivas na América Latina, finalizar o website, estabelecer aliança com uma associação internacional de governança corporativa, elaborar princípios e código de conduta para o IGCLA e produzir um boletim trimestral.

O estatuto do IGCLA foi assinado por onze países fundadores: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, México, Panamá e Peru. Em março de 2013 a presidência do Instituto será representada pelo México e em 2014, pelo Peru.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.