Brasileiras entram em lista de futuras multinacionais

Quatro empresas brasileiras fazem parte da nova geração de companhias globais, segundo o World Economic Forum (WEF), organização que reúne a elite econômica e política do planeta. Em novembro, a entidade incluiu as empresas Bematech, Politec e Odontoprev, além do grupo de comunicação Jaime Câmara, na lista de 142 empresas com potencial para se tornarem líderes na economia mundial nos próximos cinco anos. Todas têm em comum um crescimento de no mínimo 15% nos dois últimos anos, faturamento entre US$ 100 milhões e US$ 2 bilhões e foco em internacionalização.A partir de agora, elas participarão de reuniões anuais e farão intercâmbio com gigantes como Intel e Microsoft, que já são membros de outras comunidades do WEF. O primeiro encontro será em setembro de 2008, na China. Segundo o WEF, entre os temas a serem discutidos estão financiamento para investimentos, governança corporativa e adesão a iniciativas como combate à fome.O Brasil, com suas quatro representantes, aparece melhor que outros países da América Latina. Quem lidera a lista de 142 empresas são China (28), Estados Unidos (18), Índia (14), Japão (13) e Rússia (11). ?Apesar de crescer em ritmo mais lento que o resto do mundo, o Brasil vem ganhando participação no mercado de capitais, ao mesmo tempo em que suas companhias se expandem globalmente?, diz Julio Estrada, diretor-regional para o programa de novas companhias globais, batizado de Community of Global Growth Companies (em português, algo como Comunidade de Empresas de Crescimento Global). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.