Milena Moraes/Arquivo
Milena Moraes/Arquivo

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

‘Brasileiro busca ir para o Canadá por meio de estudo’, diz consultor

Loonie Canadá tem ampliado, a cada ano, 30% o número de brasileiros que tem levado para fazer cursos no país

Entrevista com

Roberto Calfat, sócio da consultoria Loonie Canadá

Márcia de Chiara, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2020 | 05h00

Com sede em Toronto, a consultoria de educação Loonie Canadá, tem ampliado, a cada ano, 30% o número de brasileiros que tem levado para fazer cursos no país. No ano passado, a empresa conduziu cerca de 400 estudantes. A maior parte da demanda, cerca de 70%, foi para cursos técnicos de nível universitário (College).

Após a conclusão desse curso, é possível trabalhar por três anos no Canadá. “Esse é o caminho da migração tão sonhada por meio do estudo”, diz Roberto Calfat, sócio da consultoria. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Cresceu o interesse de brasileiros em estudar no Canadá?

Começamos a assessoria em 2016. No primeiro ano dobramos de tamanho. De lá para cá, temos tido um aumento constante de 30% ao ano. Em 2019, trouxemos para o Canadá mais ou menos 400 estudantes. 

Qual é o curso mais procurado?

Disparado é o College. Foi 70% da demanda em 2019. A educação superior no Canadá é dividida entre o College e a universidade. O College tem uma pegada mais mão na massa, mais pró-mercado, e a universidade é mais teórica. É o conceito de curso alemão, técnico, diferente do College dos Estados Unidos. O currículo é definido com governo e empresas.

Por que esse curso é mais procurado?

Porque esse é o caminho das pessoas que querem migrar para o Canadá. Muitas já são formadas no Brasil e optam por fazer um College. Há aqueles que vem antes, fazem um curso de inglês e depois o College. Com isso, entendem o mercado e obtêm um diploma canadense e, após o término do curso, podem trabalhar por até três anos e conseguem a migração tão sonhada por meio do estudo. 

Qual é o perfil dos brasileiros que buscam esses cursos?

A maioria é de famílias com um ou dois filhos, onde um dos membros do casal vem estudar. Nos últimos anos cresceu também a procura de pessoas mais novas. Os pais entenderam que é até mais barato estudar fora do que no Brasil. Dependendo de onde o jovem vai para o Canadá, mesmo com a diferença de moeda, sai 10% mais barato do que bancar os estudos no Brasil. Os pais descobriram que estudar fora abre mais oportunidades para os filhos no futuro.

A maior procura pelos cursos técnicos que ampliam as chance de migração está ligada à crise no Brasil?

Sim. Em 2016 e 2017, as pessoas que vinham para cá estavam insatisfeitas com o governo estabelecido. Agora também há muita gente insatisfeita com o governo estabelecido. Pegamos os dois lados da moeda. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.