Brasileiro confia mais nos bancos, diz estudo

Uma pesquisa global da Ernst Young aponta que a confiança dos consumidores brasileiros em seus bancos é maior que a de correntistas de outros países. Pelo levantamento, 47% dos brasileiros têm confiança total no banco do qual são clientes, contra uma média global de 44%. Essa confiança cresceu no último ano para 38% dos brasileiros, indicador que é de 33% entre os 43 países pesquisados.

O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2014 | 02h01

O porcentual de indicação do prestador de serviço também é maior no Brasil. Para 51% dos entrevistados, é muito provável recomendar o banco, ante 40% nos demais países. O lado negativo é a satisfação com a solução de problemas: 43% estão "insatisfeitos", um dos piores países nesse quesito dentro do levantamento.

Mundo. Em outro levantamento global, o Relatório Mundial sobre Bancos de Varejo, produzido pela Capgemini em conjunto com a Efma, pela primeira vez em três anos, os usuários de bancos de varejo tiveram menos experiências positivas. Cerca de um quarto dos países que participaram da pesquisa indicou um declínio de mais de 10%, em relação a 2013, na parcela de consumidores que tiveram uma experiência positiva em instituições financeiras.

De acordo com o estudo, a América Latina foi a única região que apresentou aumento de contatos assertivos, com 1,7%. Na região, 74% dos clientes satisfeitos recomendariam o banco para um amigo, ante 17% dos consumidores com experiências negativas.

Sobre o Brasil, a pesquisa revelou que os clientes com experiência positiva são 2,5 vezes mais propensos a permanecer com sua instituição financeira. O estudo também revelou a importância da presença dos bancos nas plataformas digitais. No Brasil, 73% dos clientes da geração Y, população nascida entre 1980 e 2000, não trocaria de instituição bancária. De acordo com a análise, na comparação com demais países da América Latina, os níveis de fidelização de um consumidor brasileiro da geração Y são mais altos em todos os quesitos. / MAR- CELLE GUTIERREZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.