Brasileiro disputa hoje a presidência do BID

Cinco candidatos disputam nesta quarta-feira a presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para um mandato de cinco anos. O ex-ministro do Planejamento João Sayad é o candidato do governo brasileiro. Sayad é vice-presidente de finanças e administração do banco desde setembro do ano passado, quando foi enviado a Washington já com a intenção de disputar a sucessão de Iglesias.Os outros quatro candidatos são o presidente do Banco Central da Nicarágua, Mario Alonso, o embaixador colombiano em Washington, Luis Alberto Moreno, o ministro da Fazenda peruano, Pedro Paulo Kuczynski, e o ex-ministro da Fazenda venezuelano, José Alejandro Rojas.O favorito é o colombiano, que contaria com o apoio - não declarado oficialmente - dos Estados Unidos. O país tem 30% das ações do banco e grande poder de influência na eleição. Para vencer, é preciso ter ao mesmo tempo os votos de 15 dos 28 países das Américas e a maioria dos votos por representação acionária.Depois dos Estados Unidos, os maiores acionistas são Brasil e Argentina, cada um com 10,7% do capital acionário. Os países latinoamericanos têm metade das ações, Estados Unidos e Canadá 34% e Japão, Coréia do Sul e países europeus os restantes 16%.Se nenhum dos candidatos conseguir a maioria dos votos, existe a possibilidade de escolha do presidente da Corporação Andina de Fomento (CAF), Enrique Garcia. Ele é boliviano, mas a candidatura seria apresentada por vários países, em consenso. Com um orçamento de US$ 8 bilhões, o Bid tornou-se nos últimos anos a principal fonte de financiamento para os países da América Latina, principalmente para obras de infra-estrutura e de programas de combate à pobreza.O atual presidente Enrique Iglesias está à frente da instituição há 17 anos. Foi eleito pela primeira vez em 1988 e reeleito em 1993, 1998 e 2003 para um mandato que vai até 2008.

Agencia Estado,

27 de julho de 2005 | 08h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.