Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Brasileiro é eleito para presidência da Parlamento Latino-Americano

O Parlamento Latino-Americano, composto por 264 deputados e senadores em exercício de 22 países da América Latina e Caribe, decidiram hoje em São Paulo , durante a 19ª Assembléia Geral, criar uma comissão especial para acompanhar de perto e fiscalizar as negociações da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). O deputado federal Ney Lopes (PFL-RN), eleito hoje presidente do Parlamento Latino-Americano para um mandato de dois anos, explicou à Agência Estado que essa comissão de 22 delegados - o Brasil será representado pelo deputado federal Paulo Delgado (PT-MG) - terá a incumbência de estabelecer a maior vinculação possível entre os Congressos dos 22 países e seus respectivos Executivos para, dessa forma, acompanhar as negociações comerciais no âmbito da Alca e da Organização Mundial do Comércio (OMC)."Atualmente, os governos discutem, negociam e decidem enquanto os parlamentos se transformaram em fantoches desses acordos, que não são devidamente examinados", disse o deputado. Para ele, os Congressos não podem ficar alienados à indiferença, principalmente quando se tratam de questões internacionais. "Por isso, decidimos criar esse grupo de pressão", disse o novo presidente do Parlamento Latino-americano.Esse grupo vai ainda estudar também todas as possibilidades legais para pedir aos credores externos perdão da dívida de alguns países e a renegociação da dívida de outros. Os representantes desses países decidiram também criar uma rede de informações na Internet entre todas as nações sobre política, questões sociais, comerciais, empresariais e de meio ambiente.O deputado Ney Lopes será o 3º presidente brasileiro em 38 anos de existência do Parlamento Latino-Americano, criado por Cuba em 1964 em Lima, no Peru. Antes, o deputo Ulysses Guimarães e o senador Nelson Carneiro ocuparam esse cargo. "Desejo aglutinar todas as forças vivas dos Parlamentos da região, acima de posturas ideológicas, doutrinárias, partidárias ou de qualquer outra natureza", disse Lopes no discurso de posse. O deputado sucedeu a também deputada federal mexicana Beatriz Paredes, do PRI. Convidada para a abrir a assembléia na sede do Parlatino, no Memorial da América Latina, a prefeita Martha Suplicy chegou ao evento com uma hora e meia de atraso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.