Brasileiros investem mais no exterior que estrangeiros no País

Num movimento inédito, os investimentos diretos feitos por brasileiros no exterior superaram em 2006 os investimentos estrangeiros realizados no Brasil. No total, foram US$ 27,251 bilhões remetidos para fora do País e US$ 18,782 bilhões recebidos dos estrangeiros. Para o chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), Altamir Lopes, a inversão de sinais foi provocada pela tendência crescente de internacionalização das empresas brasileiras. "Isso não tem nada a ver com a existência de um ambiente hostil aos investimentos aqui", afirmou.A Companhia Vale do Rio Doce, sozinha, respondeu pela saída de aproximadamente US$ 14,6 bilhões do País. Todo o dinheiro foi usado na aquisição do controle da mineradora canadense Inco. O aumento dos investimentos brasileiros no exterior contou ainda com impulso de cerca dos US$ 1,2 bilhão gastos pela Ambev na compra das participações dos acionistas minoritários da cervejaria argentina Quilmes, e das operações de expansão das atividades do Bradesco e da Coteminas no exterior, cada uma de aproximadamente US$ 1 bilhão.Para este ano, o chefe do Depec conta com a possibilidade de os investimentos diretos feitos por estrangeiros no País voltarem a superar o fluxo de investimentos dos brasileiros no exterior. Pelas projeções do BC, o País receberá US$ 18 bilhões dos estrangeiros e verá sair cerca de US$ 10 bilhões ao longo de 2007. "A redução dos investimentos brasileiros no exterior ocorrerá porque não se espera a realização de nenhuma operação do porte da compra da Inco pela Val", explicou Altamir.A expectativa, segundo ele, é de uma pulverização dos investimentos entre os diversos setores da economia. "Será a continuidade de um processo de internacionalização das empresas brasileiras que já vimos no ano passado", afirmou. Na primeira parcial de 2007, o BC já contabilizou uma saída de US$ 1,7 bilhão relativa a investimentos de brasileiros fora do país.Apesar de terem ficado abaixo dos investimentos brasileiros, os investimentos estrangeiros diretos do ano passado atingiram seus maiores níveis desde os US$ 22,451 bilhões de 2001. Somente em dezembro, foram US$ 2,487 bilhões, valor que ficou acima das expectativas do BC e do mercado.O pico dos investimentos diretos foi em 2000, quando entraram no país US$ 32,7 bilhões. Naquele ano, as privatizações responderam por cerca de US$ 7 bilhões dos investimentos. Nos primeiros 25 dias deste ano, a entrada de investimentos diretos já atingiu US$ 1,9 bilhão. "Para o fechamento de janeiro, trabalhamos com uma expectativa de US$ 2,2 bilhões", disse Lopes.Ele destacou que o aumento dos investimentos brasileiros no exterior tem uma contrapartida positiva para o Brasil, ao também gerar crescimento das receitas de remessas de lucros e dividendos. O valor dessas receitas aumentos dos US$ 651 milhões, em 2005, para US$ 949 milhões no ano passado.Segundo Lopes, a maturação dos investimentos deve aumentar esse volume. Além disso, os investimentos no exterior também têm contribuído para o incremento das exportações brasileiras. "É uma forma do exportador se aproximar dos seus clientes e dos seus fornecedores", disse o chefe do Depec.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.