Brasileiros que vivem no Japão enviam US$ 100 milhões ao País

Os mais de 270 mil brasileiros que foram viver no Japão nos anos 80 e 90 ficaram conhecidos por enviar uma quantidade significativa de dinheiro aos seus familiares que permaneceram no País. Mas desde a desvalorização do real, em meados do ano passado, as remessas duplicaram.Segundo dados do Banco do Brasil, os brasileiros que estão trabalhando no Japão enviaram, desde agosto, em média US$ 100 milhões por mês ao País. O valor é o pelo menos o dobro do que o Banco estava acostumado a ver ns últimos quatro anos. Por dia, as operações de remessa do Banco do Brasil no Japão podem chegar a oito mil.Segundo o Banco, o aumento dos envios de dinheiro ocorre por que os brasileiros no Japão querem aproveitar a alta do dólar no País para quitar antigas dívidas em real que ainda teriam no Brasil, aumentar a ajuda à família ou comprar imóveis, que acabaram se tornando relativamente mais baratos para quem ganha em ien.Nos últimos anos, por causa da crise que atinge a economia japonesa, os brasileiros que trabalham no país sofreram com a redução de salários e até mesmo o desemprego. As remessas, que no início dos anos 90 obrigaram o Banco do Brasil a ter sete agências espalhadas pelo país asiático, sofreram uma queda significativa. Com a desvalorização do real, o movimento parece ter se recuperado pelo menos parcialmente.SábadoO Banco chega a abrir aos sábados para atender os brasileiros que trabalham em várias regiões do Japão. O movimento é tão grande que outros brasileiros já se aproveitam da abertura do Banco para vender produtos nacionais na porta da agência, no centro de Tóquio.Um deles vende pastel e não reclama do movimento. Outro simplesmente transformou um caminhão em um supermercado ambulante de produtos brasileiros. Estacionado em frente ao Banco, vende revistas nacionais, cds e alimentos para os brasileiros que vão enviar dinheiro a seus familiares no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.