Braskem confirma venda da Petroflex para alemã Lanxess

Petroflex é a maior fabricante de borracha sintética da AL, com faturamento aproximado de R$ 1,7 bi por ano

Márcio Anaya, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2007 | 13h17

A petroquímica Braskem confirmou nesta quinta-feira, 13, em comunicado conjunto com a Unipar e outras partes, a venda do controle da Petroflex para a alemã Lanxess, por R$ 526,680 milhões. Segundo a companhia, o montante corresponde a até R$ 22,86 por ação ordinária (ON) e até R$ 18,29 por ação preferencial classe A (PNA). "Os valores estão sujeitos aos ajustes usuais nesse tipo de operação, os quais serão verificados pela Lanxess por meio de procedimento de due diligence de acordo com o contrato", diz o aviso. Conforme a legislação do mercado de capitais, a nova controladora fará oferta de "tag along" (oferta a acionistas minoritários) pelos papéis ON da Petroflex, ao preço de R$ 18,29 por unidade. A empresa já anunciou também a intenção de fechar o capital da Petroflex, com uma oferta de até R$ 18,29 por ação PN. A oferta de "tag along" anunciada representa um deságio de 32,2% em relação à cotação verificada por volta das 12h30 de hoje do papel ON da Petroflex em mercado (R$ 27,00). Em relação às PNs, no entanto, verifica-se um prêmio de 8,5% - considerando o valor do papel negociado agora na Bovespa (R$ 16,90). A Petroflex é a maior fabricante de borracha sintética da América Latina, com um faturamento aproximado de R$ 1,7 bilhão por ano.

Tudo o que sabemos sobre:
Braskem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.