Brenco pede autorização para alcooduto de US$ 1 bi

A companhia Brasileira de Energia Renovável (Brenco) apresentou ao Ibama e à Agência Nacional do Petróleo (ANP) pedido de autorização para a construção de um alcoolduto de 1.120 quilômetros ligando o município de Alto Taquari (MT) ao Porto de Santos (SP). Somado à construção de seis terminais de coleta e entrega de álcool ao longo do percurso, o custo do projeto está orçado em US$ 1 bilhão (cerca de R$ 1,6 bilhão).O principal executivo da empresa, o ex-presidente da Petrobras, Henri Philippe Reichstul, anunciou o empreendimento na semana passada ao inaugurar em Alto Taquari, parte das obras da primeira usina de etanol, de um total dez que a empresa está construindo. Esta primeira usina receberá investimentos de R$ 450 milhões para processar três milhões de toneladas de cana, e produzir 275 milhões de litros de álcool a partir da safra de 2009. As dez usinas terão capacidade total para 3,7 bilhões de litros.Já o alcoolduto, segundo o presidente da empresa, terá capacidade para transportar quatro bilhões de litros, podendo, portanto, atender à necessidade logística de outros produtores da região, interessados em exportar. Conforme o projeto, os terminais da Brenco deverão ser instalados nos municípios de Alto Taquari, Costa Rica (MS), Paranaíba (GO), São José do Rio Preto e Paulínia (SP), além do terminal de exportação em Santos.De acordo com o diretor da Brenco, Rogério Manso, o projeto não será concorrente aos alcooldutos que a Petrobras pretende instalar no País, em trajetos ligando o Estado de Goiás à Paulínia e posteriormente ao Rio, e o Mato Grosso ao terminal de Paranaguá (PR). "São projetos completamente diferentes. Nós estaremos entrando pelo sudoeste do Estado de São Paulo, enquanto o da Petrobras entrará pelo noroeste. Nós escoaremos a produção por Santos, e a Petrobras por outros dois terminais", comentou.A Brenco, porém, não descarta uma parceria com a estatal. A empresa está procurando sócios no mercado para a construção do alcoolduto.Já a Petrobrás informou que não foi procurada pela Brenco e os únicos dois projetos de alcoolduto já confirmados em seu orçamento são o que liga Senador Canedo à Paulínia, em parceria com a Mitsui e a Camargo Correa, e outro que vai cruzar o Estado do Paraná, em parceria com o governo local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.