Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Breves

TEMPOS DIFÍCEISDispara calote de empresas dos EUAO número de empresas americanas que deixaram de pagar dívidas elevou-se a cinco em janeiro. O resultado é o pior em 28 meses, com mais de US$ 4 bilhões em dívidas não pagas, de acordo com relatório da Standard & Poor?s. Já a chefe de pesquisa em renda fixa global da S&P, Diane Vazza, disse que a agência está monitorando cerca de 80 companhias dos EUA consideradas em risco de calote. Entre elas, Chiquita Brands e Blockbuster. A Moody?s diz que há 41 empresas americanas já em violação de seus contratos de dívida ou que, provavelmente, vão violá-los nos próximos 12 meses. TODDYNHO DA DISCÓRDIAPepsico terá de pagar multa de R$ 47 milO Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, anunciou ontem a aplicação de uma multa de R$ 47,3 mil à Pepsico do Brasil por "maquiagem" de produtos. A punição foi dada por causa de uma redução da quantidade do produto Toddy Pronto, que passou de 250 ml para 200 ml. Segundo o DPDC, a redução ocorreu sem a devida informação "ostensiva e destacada" aos consumidores. DEVO NÃO NEGO1,6% foi o aumento no volume de cheques devolvidos por falta de fundos em janeiro, na comparação com dezembro. A cada 1 mil compensados, 19 foram devolvidos 2 vezes2,4 milhões foi o número de cheques devolvidos por falta de fundos em janeiro. Para a Serasa, o pagamento de despesastípicas do período, como IPVA e IPTU, explica o calote CONSELHO DO FMIFrança tem de mudar regras de trabalhoDepois de reduzir a projeção de crescimento da França em meio ponto porcentual, para 1,5% este ano, o Fundo Monetário Internacional (FMI) insistiu ontem que o país precisa promover reformas no mercado de trabalho. Em nota, o FMI disse que a rigidez do mercado de trabalho e do setor de serviços é a raiz dos problemas de crescimento francês. Os membros do Conselho Executivo do FMI aconselharam o governo a pôr limites nos reajustes futuros do salário mínimo, afrouxar as normas que regem as 35 horas de trabalho semanais e flexibilizar os contratos para facilitar a admissão e dispensa dos empregados.FRAUDE NO INSSDez pessoas são presas em ManausA Polícia Federal prendeu ontem 10 pessoas em Manaus acusadas de fraudar auxílio-doença e pedidos de aposentadoria por invalidez no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Foram presos um médico perito do INSS, 2 servidores, 4 médicos particulares e 6 agenciadores, todos acusados de terem causado prejuízo de cerca de R$ 1,2 milhão ao mês aos cofres públicos ou até R$ 14 milhões em um ano. Em três anos, quatro operações da PF foram deflagradas tendo como alvo o desvio de funções do INSS no Amazonas. No País, foi a quinta operação este ano. Foram feitas 57 prisões, sendo 14 de servidores do INSS.

O Estadao de S.Paulo

21 de fevereiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.