Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Breves

CONFERÊNCIA DE DADOSOferta do BB pela Nossa Caixa está quase prontaO presidente da Nossa Caixa, Milton Luiz de Melo Santos, afirmou ontem que o Banco do Brasil estaria prestes a apresentar o valor que está disposto a pagar para incorporar o banco paulista. "O BB quer se assegurar que todas as informações financeiras são incontestáveis e condizem com a realidade da Nossa Caixa." De acordo com ele, o data room foi fechado no dia 5, mas o BB eventualmente entra em contato para sanar dúvidas. Santos lembrou, no entanto, que não é possível afirmar que todo o processo de incorporação será concluído até novembro, data desejada pelo Banco do Brasil. PREVISÃO OTIMISTABrasil vai crescer 4,8%, diz CepalO Brasil vai crescer 4,8% este ano, apesar da desaceleração econômica mundial, informou o relatório "Estudo Econômico da América Latina e do Caribe 2007-2008", publicado pela Comissão Econômica Para a América Latina e o Caribe (Cepal). O órgão previu ainda que América Latina e Caribe também vão crescer este ano, mas um ponto porcentual menos do que em 2007. O Produto Interno Bruto (PIB) da região se expandirá 4,7% em 2008. 7,5% é a previsão para este ano para a taxa de desemprego que vem caindo desde 2003. Em 2007, o índice era de 8,0%. A pobreza na região também mantém trajetória de queda e acumula, desde 2002, recuo de 9 pontos porcentuais. Mas ainda é muito alta e atinge 35% da população de 190 milhões de pessoasFUSÕES E AQUISIÇÕESMercado de seguros tem novo boomO mercado brasileiro de seguros passa por um novo boom este ano. Segundo pesquisa da KPMG, já foram realizadas nove fusões e aquisições envolvendo empresas do setor no primeiro semestre de 2008. O resultado é mais do que o dobro das transações durante todo o ano passado, quando ocorreram quatro operações desse tipo. A principal causa é o crescimento da economia do País, que tem impulsionado as vendas de seguros. "As perspectivas a longo prazo são positivas, já que o setor começa a chamar a atenção de empresas internacionais", diz José Rubens Alonso, sócio-líder da área de Seguros da KPMG.SUSPEITA DE CARTELCade fecha acordo com a BridgestoneO plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) fechou ontem acordo (Termo de Compromisso de Cessação de Prática) com a Bridgestone Corporation, fabricante mundial de pneus e produtos industriais. A empresa vinha sendo investigada juntamente com outras onze grandes companhias, desde o fim de 2007, pela Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, por suspeita de participação em um cartel internacional de mangueiras marítimas. Esses produtos são usados para transportar petróleo e derivados para navios petroleiros e instalações petrolíferas na costa e em alto-mar.

O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.