R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Breves

RANKING DOS PACOTESDo G-20, Brasil é o que menos gastou até agoraO Brasil é o país do G-20 que menos gastou até hoje com pacotes de estímulo à economia em relação ao PIB. Levantamento da Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que apenas 0,2% do PIB nacional foi gasto para estimular a economia brasileira desde a eclosão da crise. A Espanha é a líder no volume dos pacotes: já injetou na economia 8,1% do PIB. A China vem em segundo lugar, com 6,9%. O terceiro posto é dos Estados Unidos, com 5,5%. Em volume, os americanos têm o maior pacote. O México, duramente afetado pela recessão nos EUA, ocupa o quarto lugar, com 4,7%.EMPREGO FORMAL750 mil postos foram fechados, diz DieeseA crise eliminou cerca de 750 mil empregos formais entre novembro e fevereiro no País, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com o estudo, esse volume representa uma queda de 2,3% do emprego formal no período. O setor mais atingido foi a agropecuária, com recuo de 7,9% das vagas em dezembro e de 8,6% no acumulado até fevereiro. Em seguida, ficou a indústria de transformação, que registrou perda de 3,6% dos postos com carteira assinada em dezembro e 5,0% noacumulado até fevereiro.350 mil seriam os empregos formais eliminados em dezembro sem o efeito da crise por ser tradicionalmente um mês de aumento das demissões. Com a crise foram fechadas 655 mil vagas, segundo o CagedCARTÕES DE CRÉDITOItaú vira majoritário na RedecardO Itaú Unibanco assumiu posição majoritária na Redecard, depois de ter exercido uma opção de compra que ampliou para pouco mais de 50% a fatia no capital da processadora de cartões de crédito. A operação se deu no âmbito da oferta pública secundária de 17% das ações da Redecard pertencentes ao Citigroup, que está se desfazendo de parte de seus ativos para reforçar o capital abalado pela crise de crédito. O prazo para pedidos de reserva dos papéis que estão sendo vendidos expirou ontem. Hoje, deve ser definido o preço da oferta, na conclusão do processo de verificação da demanda do mercado.A VEZ DO ARAGUAIAInstalação de usinas no rio já traz polêmicaO aproveitamento do Rio Araguaia, em Tocantins, reacendeu a divisão entre as autoridades do governo nas áreas ambiental e de energia. Ontem, no Rio, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, manifestou seu veto à construção de hidrelétricas naquele rio. Em outro evento, também no Rio, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, incluía o rio em suas projeções de aumento de geração de eletricidade nos próximos 10 anos. Minc informou que apresentará sua proposta contra as usinas no Araguaia em reunião do Conselho Nacional de Recursos Hídricos, na quinta-feira. "Se os interesses da Rússia forem ignorados, então, seremos obrigados a rever os princípios do nosso relacionamento"Vladimir Putin, primeiro-ministro russo a europeus após negociação sobre gás entre Moscou, a vizinha Ucrânia e a UE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.