Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Breves

PESQUISA FOCUSMercado mantém previsão de juro a 9% no anoAnalistas não alteraram a previsão para o comportamento dos juros no fim do ano. Segundo a pesquisa Focus divulgada ontem pelo Banco Central, as previsões para o patamar da Selic manteve-se em 9%, o que indica corte de 1,25 ponto porcentual. Há um mês, o mercado esperava Selic de 9,25% ou corte de 1 ponto porcentual. Na visão dos analistas consultados pelo BC, o Copom deve continuar o processo de desaperto monetário com a redução da Selic para 9,5% na próxima reunião, que termina em 10 de junho, o que indica redução de 0,75 ponto. Essa previsão já é repetida há quatro semanas. INDÚSTRIA DA CELULOSEVendas de papel caem 3,1% em abrilAs vendas domésticas de papel recuaram 12,4% em abril em relação ao mesmo período de 2008, para 373 mil toneladas, de acordo com dados preliminares da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). Em relação a março, o recuo verificado pela entidade foi de 3,1%. No acumulado do primeiro quadrimestre de 2009, sobre igual intervalo do ano passado, a queda foi de 10,8%, para 1,49 milhão de toneladas.MERCADO ABERTO5% é a expectativa de crescimento da produção de carne de frango para este ano traçada pelo presidente da União Brasileira de Avicultura, Ariel Antonio Mendes11,4 milhões de toneladas de carne devem ser produzidas. O avanço será puxado pela abertura de novos mercados e pelo aumento das exportações, especialmente para a ChinaMAIS INVESTIMENTOSSaudita alerta para novo pico do petróleoEm dois ou três anos, o preço do petróleo pode atingir novo pico, acima até dos US$ 147 por barril de julho de 2008, se não houver retomada dos investimentos na produção, disse ontem Ali Al-Naimi, ministro do Petróleo da Arábia Saudita, maior exportador mundial do produto. Essa preocupação já foi demonstrada pela Agência Internacional de Energia, que representa os consumidores. Na reunião dos ministros de Energia do Grupo dos Oito, em Roma, Al-Naimi disse que seu país "continua a investir em exploração para ajudar a assegurar uma oferta contínua de energia quando a economia mundial se recuperar".LINHA DURAPecuaristas impõem restrições às vendasOs pecuaristas do Centro-Oeste fecharam acordo ontem para restringir as vendas de gado para os frigoríficos. Produtores de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul decidiram que a partir de hoje não venderão mais a prazo. Além disso, os produtores decidiram que não venderão mais para os frigoríficos que estão em processo de recuperação judicial e que tenham dívidas com os pecuaristas.Segundo a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás, as medidas fazem parte de uma lista com seis pontos. A ideia é levar as propostas para os produtores de outros Estados, especialmente Minas Gerais e São Paulo."Embora a economia esteja em situação difícil, o ritmo de deterioração está se tornando moderado"Masaaki Shirakawa, presidente do banco central japonês (BOJ)

, O Estadao de S.Paulo

26 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.