Breves

APOIO JUDICIALGestante terá mais estabilidade no trabalhoA Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou ontem proposta que dá mais estabilidade à trabalhadora gestante, obrigando o reconhecimento judicial de justa causa antes de sua demissão. O projeto altera a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) para transferir ao empregador o ônus de provar a justa causa para a rescisão do contrato de trabalho. Pela regra atual, cabe à gestante procurar a Justiça para tentar receber indenização. Pelo projeto, a dispensa por justa causa só poderá ser efetivada após inquérito e, durante a sua tramitação, a gestante continua recebendo o seu salário.RESTITUIÇÃO DO IRConsulta disponível a partir de amanhãA Receita Federal abre amanhã consulta ao primeiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física deste ano. Será o primeiro lote "multiexercício", já que nele estarão as primeiras restituições de 2009 e também restituições da malha fina de 2008. A consulta poderá ser feita pelo site www.receita.fazenda.gov.br ou pelo telefone 146, informando-se o CPF. Os créditos das restituições serão feitos no dia 15 de junho. PREÇOS-0,75% é a variação acumulada em 12 meses do preço da gasolina no varejo até maio - a menor desde junho de 2008 -, segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas10% foi o último reajuste do produto nas refinarias, em maio do ano passado. O preço ao consumidor tem sido barateado por causa da concorrência no mercado revendedorPESQUISAVarejo tem melhor resultado do anoO varejo teve em maio a quarta alta consecutiva e o melhor resultado do ano, apontou ontem o Indicador de Atividade do Comércio, divulgado pela empresa de informações econômicas Serasa Experian. Levando em conta as consultas a cerca de 6 mil empresas do País, o índice teve em maio um salto de 1,3% sobre abril, resultado livre de influências sazonais. A alta é a maior registrada desde dezembro de 2008, quando a atividade cresceu 2,8% ante novembro em decorrência das vendas de Natal. Crescimento ainda maior (de 2,5%) foi verificado na comparação com maio de 2008. NEGÓCIOS EMPRESARIAISFusões em petróleo e gás somam US$ 43 bi As fusões e aquisições no setor global de petróleo e gás somaram US$ 43 bilhões no acumulado deste ano, cerca de metade do valor alcançado em igual período do ano passado, afirma o responsável por transações de petróleo e gás da Ernst & Young, Andy Brogan. "Dois terços das 160 transações de fusão e aquisição que foram concluídas desde 1.º de janeiro foram de companhias independentes de petróleo e gás comprando outras companhias independentes de petróleo e gás." De acordo com a Ernst & Young, que não informa como essas transações foram financiadas, o valor total de acordos desse tipo foi de US$ 30 bilhões. "A Austrália é agora o único país desenvolvido que não está em recessão. Mas a economia ainda não está livre de problemas"Kevin Rudd, primeiro-ministro australiano

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.