Breves

BRASIL x ESTADOS UNIDOSOMC adia decisão na guerra do algodãoA Organização Mundial do Comércio (OMC) adia pela segunda vez a decisão sobre o valor que o Brasil será autorizado a retaliar os Estados Unidos por causa dos subsídios ilegais ao algodão. A OMC ainda vai decidir se Brasil poderá aplicar as retaliações por meio de suspensão de patentes. O Brasil, em julho do ano passado, pediu o direito de retaliar os EUA em US$ 2,5 bilhões. Mas os americanos questionam o valor e alertam que apenas aceitariam uma retaliação de pouco mais de 1% do valor defendido pelo Brasil, ou US$ 30 milhões. Uma decisão deveria ter sido dada ainda em 2008. ÁGUAS PROFUNDASPetrobrás pode usar plataforma chinesaA China Ocean Shipping Co. (Cosco), maior operadora de navios em receita, construiu uma plataforma de perfuração em águas profundas e de estocagem para a norueguesa Sevan Marine ASA. A plataforma, que custou US$ 600 milhões, segundo a agência Xinhua, será colocada em breve em operação pela Petrobrás, segundo a Cosco. O equipamento pode perfurar poços a de 40 mil pés de profundidade e estocar 150 mil barris de petróleo bruto. PESQUISA3,4% foi o aumento da confiança dos economistas em junho ante maio. É a terceira alta seguida medida pelo Índice de Sentimento dos Especialistas em Economia da Fecomércio. Melhora na expectativa de crescimento interno , crédito e queda da inflação estão por trás do otimismoDEMISSÕESEmbraer não aceita proposta do TRTA Embraer não aceitou a proposta de indenização feita ontem pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Brasília. Em audiência de conciliação entre a fabricante de aviões e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), o ministro da Seção de Dissídios Coletivos, Maurício Godinho Delgado, propôs que a Embraer aumentasse a indenização aos 4.273 demitidos, de 2 para 4 salários-base; que o teto da indenização passasse de R$ 7 mil para R$ 14 mil; e que a data das demissões seja alterada de 19 de fevereiro para 13 de março. Agora, o caso vai a julgamento, marcado para o dia 10 de agosto.PETRÓLEOAIE reduz projeção de demanda A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu em 3,7% sua previsão de médio prazo para a demanda mundial por petróleo, sugerindo que a recessão pode manter os preços do petróleo sob controle. A AIE espera que a demanda até 2013 esteja, em média, em 87,90 milhões de barris por dia, 3,3 milhões abaixo da previsão feita em dezembro. A nova projeção representa ainda queda de 7% em relação à estimativa original para 2008-2013, feita em julho passado. Mas o relatório também enfatiza que o investimento reduzido e outros fatores, como a nacionalização de recursos, estão prejudicando a oferta. "Muito do estímulo já anunciado ainda está por vir e primeiro vamos ver os desdobramentos antes de tomarmos os próximos passos"Barack Obama, presidente dos EUA, aberto à possibilidade de um segundo pacote de estímulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.