Covid-19

Quem se recupera antes da crise: Europa ou Estados Unidos?

BRF compra três empresas e dobra produção externa

No valor total de US$ 500 milhões, aquisições na Tailândia, Holanda e Reino Unido devem adicionar US$ 600 milhões à receita da companhia

Camila Turtelli Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2015 | 03h03

A BRF anunciou ontem três aquisições por uma soma total equivalente a US$ 500 milhões. As empresas compradas, sediadas na Tailândia, Argentina e Reino Unido, adicionarão US$ 600 milhões ao faturamento da companhia brasileira em 2016 e dobrarão sua capacidade de produção no exterior para 8% do total.

A maior aquisição foi a da Golden Foods Siam, uma das líderes na produção de aves na Tailândia, por US$ 360 milhões. A companhia deve acrescentar à produção da BRF de 220 mil a 230 mil toneladas anuais de alimentos em 2016. “A BRF passa a ser a única empresa do planeta capaz de atender seus clientes a partir de Brasil e Tailândia”, comentou o presidente da companhia, Pedro Faria, em teleconferência para jornalistas. Além de ser forte na Tailândia, a companhia está presente em 15 mercados globais.

O banco Brasil Plural avalia que a aquisição deve reforçar a presença da BRF no sudeste asiático, já que a Golden Foods tem instalações de produção que facilitam a venda na região.

Para os analistas do BTG Pactual, o investimento na Tailândia é algo totalmente novo.

“A aquisição não é apenas relativamente grande, mas também é um marco”, diz o relatório. Os analistas do banco avaliam que a operação dá à BRF, pela primeira vez, uma grande capacidade de produção e processamento de aves fora do Brasil, em uma região com alta competitividade de custos e que concorre diretamente com a indústria avícola brasileira em vários mercados. O BTG ressalta que, com a novidade, a BRF já investiu mais de US$ 1,1 bilhão em aquisições no exterior nos últimos quatro anos.

As outras aquisições anunciadas foram a compra de 100% da distribuidora de alimentos britânica Universal Meats, por £ 34 milhões e de todas as ações da holandesa Eclipse Holding por US$ 85 milhões. A Eclipse é controladora da companhia argentina Campo Austral, forte no segmento de suínos.

A Campo Austral reforça uma estratégia da BRF de avançar no mercado argentino. Em outubro, a companhia comprou sete marcas argentinas de salsicha, hambúrguer e margarina da Molinos Rio de La Plata, por meio das suas subsidiárias no país, Quickfood e Avex.

“Hoje, a presença da BRF na Argentina passa a espelhar de uma forma bastante completa o que é nossa atuação no Brasil. Especialmente em um momento político e econômico interessante no país, em um ambiente que passa a apontar para um futuro promissor”, afirmou Faria, se referindo à eleição do presidente argentino, Mauricio Macri, no último dia 22.

Globalização. A BRF adotou fortemente uma estratégia de expansão internacional em maio de 2013, quando o empresário Abílio Diniz, ex-controlador do Grupo Pão de Açúcar, assumiu a presidência do conselho da empresa de alimentos.

A BRF vem investindo em sua globalização por meio de aquisições de unidades produtoras, marcas e distribuidores de alimentos, além de instalação de escritórios comerciais e joint ventures. Foram 12 movimentos importantes nos últimos dois anos no Oriente Médio (Emirados Árabes Unidos, Omã, Kuwait, Qatar), Ásia (Indonésia, Cingapura e Tailândia) e na Argentina.

Também presente na teleconferência, Diniz destacou que o projeto de expansão deve continuar e trará resultados de longo prazo. “Estamos fazendo uma companhia global, e não somente exportadora, com plantas esparramadas por vários países”, disse o empresário.

Faria afirmou que mais aquisições serão feitas. Segundo ele, ativos na África Subsaariana continuam no radar da BRF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.