BRF investe em fábrica de margarina em Pernambuco

Unidade, que deve consumir investimentos de R$ 140 milhões, terá capacidade inicial de 8 mil toneladas por mês

O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2011 | 03h03

A BRF - Brasil Foods anunciou ontem a construção de uma fábrica de margarinas em Vitória de Santo Antão, Pernambuco, com investimento de R$ 140 milhões. De acordo com comunicado enviado pela empresa à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a capacidade inicial da unidade será de 8 mil toneladas por mês. O início das obras está previsto para janeiro de 2012, com entrada em operação um ano depois. A expectativa da BRF é que, até 2015, o faturamento da unidade atinja R$ 450 milhões por ano.

A área destinada à fábrica é de 38 mil metros quadrados no complexo industrial de Vitória de Santo Antão, a 50 quilômetros de Recife, que hoje produz industrializados de carnes. "O projeto visa atender à demanda significativa e crescente da região, com ganhos em custos de produção e distribuição, permitindo oferecer produtos a preços competitivos", diz a nota, assinada pelo diretor vice-presidente de Finanças, Administração e Relações com Investidores, Leopoldo Viriato Saboya.

Desde que a fusão entre Perdigão e Sadia (que deu origem à BRF) foi autorizada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em julho, o grupo já anunciou vários investimentos. Há pouco menos de duas semanas, havia anunciado a compra do laticínio Heloísa, localizado na cidade de Terenos (MS), por R$ 122,5 milhões.

Antes disso, em agosto, anunciou a construção de uma fábrica de processados nos Emirados Árabes Unidos, com investimentos de US$ 120 milhões. No mês passado, comprou, em parceria com o grupo argentino Miguens, a Avex, um dos maiores produtores e exportadores de frango da Argentina, e a Dánica, a maior companhia de margarinas do país vizinho. O desembolso total foi de US$ 150 milhões, dos quais dois terços saíram da BRF. / AGÊNCIA ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.